Weby shortcut
Jovens Jornalistas - FIC UFG

Um doce envolvente

Atualizado em 24/03/15 10:49.

 

 

Wanessa Olímpio

(Pixabay)

 

 

O chocolate já era consumido pelos povos Astecas e Maias antes da chegada dos colonizadores Europeus. Mas ele não se aparentava com o que conhecemos hoje. Era uma bebida amarga, feita com o pó da amêndoa do cacau misturada a água, que era usada para dar energia aos guerreiros, de acordo com a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (CEPLAC).

 

Quando foi levado para Europa, foram desenvolvidas outras formas de prepará-lo, acrescentando leite, açúcar e outras especiarias, ficando parecido com o que conhecemos hoje. Mas porque será que um alimento feito a partir de uma semente amarga pode agradar tanto ao paladar? Por que ele pode causar uma maior sensação de bem-estar comparado a outros doces?

Em um artigo encontrado no Blog Boa Consulta afirma que “os alimentos ricos em açúcar e gordura – como o chocolate – funcionam como recompensas para o cérebro. O desejo incontrolável muitas vezes é relacionado à obesidade – e ao estresse (também o mesmo que acontece com outros vícios, como bebidas e cigarros)”.

De acordo com a nutricionista Olívia Perim, no site Brasil Medicina, “o chocolate vicia devido a um de seus componentes básicos, o aminoácido feniletilamina, precursor da serotonina, substância que fabricamos em situações de felicidade. Essa substância, também conhecida como hormônio da felicidade, encontra-se diminuída nas tristezas e depressões, e tem sua produção aumentada quando comemos chocolate.”

Dentre os vários tipos de chocolate existentes no mercado, deve-se preferir o amargo, pois tem menos gordura e açúcares o que faz bem para a saúde. Isabela Correa, Médica especialista em nutrição do site Nutrição e vida, diz que “é sabido que carboidratos (açúcares) têm a capacidade de induzir conforto e promover, também, sensação de bem-estar via a liberação de substâncias do eixo intestino cérebro”. Por isso ele faz bem ao paladar e ao humor.

Mas “por outro lado, o chocolate parece interagir com uma série de sistemas neurotransmissores (dopamina, serotonina e endorfinas) que certamente contribuem com o apetite, a recompensa e a regulação do humor.”

Então é devido a estas interações com o cérebro e estas sensações de recompensa que fazem o chocolate ser mais atraente do que os outros doces. Mas devido a concentração de gordura e açucares deve ser consumido com moderação, principalmente em períodos festivos como a páscoa.

(Fonte: FIC)