Weby shortcut
4884

Lenhadores de grife

Atualizado em 31/03/15 09:06.

Atualizada em 24/03/15 10:05.

Adeus, metrossexual. A nova onda é o lumbersexual, homens barbudos com visual de lenhador

Por Júnior Bueno

 

j

Foto: modaparahomens.com.br

 

O reinado dos homens super vaidosos, parece ter – finalmente – chegado ao fim. Já faz um tempo que homens com aparência mais rústica, com barba e pelos pelo corpo, como Gerard Buttler, têm chamado a atenção. Porém, agora, essa versão ‘macho man’ ganhou nome, são os lumbersexuais. O termo é uma mistura de lumberjack (“lenhador”) + sexual, que nada mais é do que um “lenhador de grife”. Não que ele vá sair com machado ou serra elétrica pelas ruas. Mas sim com a barba comprida, camisa xadrez de flanela, calça jeans com corte clássico, botas, etc.

Iniciada na Inglaterra, a moda lumbersexual é uma tendência urbana recente, mas a barba é um item de identidade de outras tribos, como os beatniks e os hipsters e os ursos, como são chamados os gays parrudos e peludos. Mas há quem cultive uma bar­ba abundante sem se identificar com algum grupo. O es­tu­dante de Ciências Contábeis Amadeu Gustavo tem a barba cheia, mas por achar que a barba dava um aspecto mais maduro. “Foi umas das primeiras coisas que me deram autoconfiança visualmente”, diz ele.

Para garantir que a barba não vá crescer de forma desordenada, Amadeu tem ajuda profissional. “Vou ao barbeiro uma vez a cada três meses pa­ra fazer o corte e vou aparando em casa”, diz ele, ressaltando que não chega a ser vaidoso demais. “Sempre prefiro cuidar dela, mas, quando não é possível, não me importo, na verdade”.

Já o estudante de Jornalismo Hebert Nascimento tem uma iden­tificação com a barba des­de antes de pensar em ter uma. “Desde pequeno, enxergava barba como algo que representasse um homem já fei­to, poderoso, confiante, ma­duro. Quando começou a crescer, queria parecer um homem assim e, desde então, a mantenho. E tem o fato de me achar feio sem ela”, diz ele.

Para Amadeu, a moda lumbersexual tem mais a ver com marketing do que com estilo, mas ele não se incomoda. “Não acho ruim pelo fato de ter aces­so a mais produtos como fla­nelas e produto para a bar­ba,” ele diz. Já Hebert não gosta do ter­mo. “Eu gosto do estilo, até procuro ter esse visual mais rústico, mais cru mesmo, mas sempre procurei isso. O que não cai muito bem é a definição lumbersexual. Acho que banaliza a coisa, torna a pessoa meio que um produto, co­mo se ela agisse assim porque é o que está em alta”.

Cuidados

Thi­ago Pessoa, proprietário da barbearia Like a Boss, acredita que os homens não costumam assumir rótulos assim, tão facilmente. “É só um nome que inventam, mas o visual já exis­te há tempos, ainda mais em Goiânia, onde a combinação xadrez, jeans e bota é quase um uniforme”, diz ele. E, para garantir o sucesso do visual, Jobel Pellegrino, um dos barbeiros da Like a Boss, recomenda o uso de produtos específicos para a barba, como xampus, condicionadores e ceras. “Há ainda poucos produtos em oferta. Na internet, podem ser encontrados, mas o mais recomendado é ouvir um pro­fissional, saber quais produtos usar e com que frequência”, diz ele.

Tudo indica que o reinado dos barbudos veio mesmo pa­ra ficar. E tem até estudo que os coloca em vantagem na “cadeia alimentar” do sexo. Encomendada pelo site de encontros Match.com, a pesquisa revelou que os homens barbados têm uma vida sexual mais ativa que os de cara lisinha. Em números: 80% dos barbudos posuem orgasmo com fre­quên­cia, contra 77% dos caras limpas; a frequência sexual dos barbudos é maior: 73% contra 70%; por fim, segundo o estudo, quem tem barba tem mais parceiras pa­ra sexo casual. Mas nem tudo é só sexo: 88% dos barbudos acreditam mais em casamen­to duradouro.

Fonte: FIC

Listar Todas Voltar