Weby shortcut 1a5a9004da81162f034eff2fc7a06c396dfddb022021fd13958735cc25a4882f
4884

Autoridades se surpreendem com instalações do HUGO

Atualizado em 02/06/15 08:48.

Secretário de Saúde do estado do Rio de Janeiro vem até Goiânia conhecer as novas instalações do Hospital de Urgências de Goiânia.

Por: Luiz Fernando Carvalho

HUGO

Foto: reprodução

Autoridades de vários estados brasileiros já vieram até o maior hospital de urgências do Centro-Oeste conhecer as novas instalações. Em 2012 o HUGO passou a ser gerido pelas chamadas Organizações Sociais (OS) e desde então passou por reformas que, segundo o diretor geral do hospital Dr. Ciro Ricardo Pires de Castro, são só resultados positivos.

Os bons resultados chamaram até mesmo a atenção do Secretário de Saúde do Rio de Janeiro Felipe Peixoto, que veio até ao prédio do Hospital de Urgências de Goiânia para conhecer as novas instalações. Na visita técnica, o secretário acompanhado de um time de autoridades de diversas áreas visitou enfermarias, a urgência, a emergência, salas de UTI e até a lavanderia do hospital.

“O HUGO é sim um exemplo que o projeto das Organizações Sociais funcionam e iremos sim usar o modelo do Hospital nos nossos projetos para a saúde no Rio de Janeiro”, afirmou Felipe Peixoto. Quanto às instalações de ultima geração do HUGO, Peixoto não poupou elogios: “a infraestrutura é surpreendente”, afirma. Além da parte hospitalar, toda a estrutura do hospital passou por reformas, como as fachadas, redes hidráulicas e elétricas, estacionamentos, cozinhas e refeitórios.

O Secretário Extraordinário do Estado, Dr. Antônio Faleiros, participou da visita representando o governador Marconi Perillo. “O estado por si só é incompetente em gerir um hospital do patamar do HUGO, que atende pacientes de todo o estado. Desta forma, a parceria com as OS vieram como uma alternativa que funciona para auxiliar esta gestão”, afirmou.

Resultados

Quanto aos bons resultados do hospital nos últimos anos, Dr. Ciro Ricardo destaca o quanto os números são surpreendentes: “há cinco anos conseguíamos fazer 12 operações por dia, hoje esse número é mais que o dobro”, afirma. Enquanto em 2011 foram feitos 9.136 procedimentos, em 2014 esse número saltou para 14.616 cirurgias.

Listar Todas Voltar