Weby shortcut 1a5a9004da81162f034eff2fc7a06c396dfddb022021fd13958735cc25a4882f
4884

Goiânia, cidade independente

Atualizado em 02/06/15 10:39.

Considerada por muitos como a capital do rock independente, a cidade goianiense já tem nas veias o som das guitarras

Caroline Almeida

 

A grande fazenda asfaltada, como muitos ainda se referem à capital de Goiás, não é mais a mesma. Goiânia foi transformada pelos jovens, que viram na música uma possibilidade de expor sua independência e atitude. Aos poucos, o cenário goianiense mudou de face para si e para o resto do Brasil.

Outrora sertaneja, Goiânia passou a ser rock n’ roll. Considerada por muitos a capital do rock independente, devido a seus inúmeros festivais e bandas que emergem da noite, a cidade do pequi viu a movimentação de seu mercado musical crescer exponencialmente.

A consolidação da vida roqueira goiana foi motivo de surpresa para muitos, mas não foi fácil. Os eventos cresceram, a estrutura aumentou e o público se expandiu, levando as bandas a buscarem melhores maneiras de produzir e, lançando mão da acessibilidade trazida pela tecnologia, muitas até dispensaram o envolvimento de gravadoras para a gravação de álbuns.

“Muitas bandas estão cuidando disso sozinhas hoje em dia. Os selos trabalham mais com a distribuição do material da banda e agendamento de shows”, comenta Ian Alves, guitarrista da banda goianiense Solicitude.

O lado das bandas

Mas a produção de discos de forma independente nem sempre é vantajosa na visão de alguns músicos. “Para recuperar o dinheiro do investimento na venda ou nos shows, é preciso estrutura profissional, dedicação integral e material para vender”, destaca Eduardo Mesquita, vocalista da também goiana Sangue Seco. Sem titubear, ele afirma: “Ninguém tem lucro com CD hoje em dia”.

A necessidade de se profissionalizar, inclusive, foi sentida pelos músicos. Os custos ficaram maiores e o retorno nem sempre é à altura. O vocalista e guitarrista da banda The Galo Power, Bruno Gallo, destaca a dificuldade de conciliar apresentações com o ganho financeiro.

“Você nem sempre pode contar com a grana dos shows. Nós, por exemplo, ficamos quase um ano juntando cachê pra gravar o disco. Nesse período, fizemos uma média de 40 shows”, afirma.

 

Festival Bananada no Centro Cultural Oscar Niemeyer, por Pedro Margherito

Festival Bananada no Centro Cultural Oscar Niemeyer (foto: Pedro Margherito)

 

Eventos

Entre altos e baixos, Goiania ainda é reconhecida por sediar importantes eventos de música independente, que ultrapassam os dez anos de existência como o Festival Vaca Amarela, o Tattoo Rock Fest e o Bananada. O Goiânia Noise Festival, que já foi reconhecido como o melhor evento de rock independente do Brasil, está em atividade desde 1994.

Em 2015, a cidade já recebeu atrações como Caetano Veloso e Pato Fu, durante a programação do festival Bananada, realizado no mês de maio. No início do segundo semestre, em julho, será a vez do Tattoo Rock Fest dar as caras, reunindo tatuados e roqueiros de todo o país.

 

Listar Todas Voltar