Weby shortcut 1a5a9004da81162f034eff2fc7a06c396dfddb022021fd13958735cc25a4882f
4884

Investir no rock em solo sertanejo

Atualizado em 12/05/15 10:24.

Empreendimentos com temática roqueira fazem sucesso e se consolidam em Goiânia

Caroline Almeida

Os acordes das guitarras ecoam pelo ambiente e logo mandam para longe o estereótipo da cidade. Capital do sertanejo? Nem sempre. Ao menos nos últimos anos, Goiânia tem sido marcada por bastante rock n’ roll, com lugares que oferecem ao público uma decoração aconchegante, principalmente para os adeptos desse tipo de som.

Um desses locais está no setor Jardim América. Conhecido por abrigar motociclistas e roqueiros, o Vai Tomá no Kuka Bar é comandado pela figura que dá nomeia o ambiente, o Seu Kuka. Há 13 anos, ele e sua equipe fazem os clientes se sentirem em casa.

Gerente do empreendimento, Luciano Ervilha explica o segredo da sobrevivência do Bar do Kuka em uma cidade originalmente caipira. “É preciso saber lidar com os altos e baixos e não perder a identidade na primeira crise”, disse. Segundo ele, muitos empreendimentos goianos deixaram de existir pela dificuldade de se adaptar à “cena” rock n’ roll.

Na contramão do pensamento de que não existiria espaço na capital de Goiás para ambientes alternativos, o investimento em empreendimentos voltados a essa área tem se expandido e comprovado que a cidade tem espaço para violas e guitarras.

Ervilha é enfático ao afirmar que Goiânia é bastante acolhedora para o estilo, algo que, para o gerente, já foi percebido por outros empresários do ramo. Um desses empreendedores é Murilo Leal que comanda o The Dark Side Rock Bar em família, ao lado da irmã, Muriel Leal, e do cunhado, Marcos Cordeiro.

Criado em 2012, o Dark Side veio com uma proposta temática ainda mais apurada: o “lado negro da força”. O ambiente azul, com decoração que lembra o filme Star Wars, serve como segunda casa para roqueiros com mais rodagem e para os jovens.

“Quando eu frequentava outros bares em Goiânia, notei que havia espaço para criar algo acolhedor, também, para o público mais velho”, explica Leal. “Apostamos nisso e temos sido bem recebidos por todas as gerações”.

Investir no rock em solo sertanejo

Vai Tomá no Kuka Bar é alternativa para público alternativo há 13 anos (Reprodução: kukabar.com.br)

 

Crise

Enquanto novas opções surgem para o público alternativo e até mesmo para o tradicional, empreendimentos famosos do chamado “Quadrilátero Gourmet” do setor Marista, têm fechado as portas. Segundo um levantamento realizado pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Goiás (Abrasel-Goiás), 30% dos 42 estabelecimentos que havia na região saíram do local.

Entre os fatores que levaram ao fechamento desses bares e restaurantes estão o alto valor do aluguel, a falta de segurança e a dificuldade de estacionamento.

 

Fonte: FIC

Listar Todas Voltar