Weby shortcut
4884

Fogos de artifício e raios: por que os cães têm tanto medo?

Atualizado em 05/05/15 09:51.

Não há quem deteste mais o fim do ano do que os cães. Os sons dos fogos de artifício deixam os bichinhos amedrontados. Você já se perguntou por que isso acontece?

Por Jéssica Adriani 

Ilustração matéria

Jhullie, o bichinho de estimação de Bianca, corre para debaixo da cama nos momentos de estresse

 

Imagine que você está em um campo de guerra e que lançam uma bomba perto de você. Além dos possíveis efeitos físicos, o estouro prejudicaria o seu ouvido, a ponto de ficar por um tempo sem ouvir. Assim é com cachorro quando ouve o barulho de fogos de artifício.

Os cães se assustam mais com barulhos estrondosos, como fogos de artifício e trovões, porque a audição deles é muito mais sensível do que a dos humanos. “A Jhullie treme de medo, corre pra debaixo da cama e fica lá até o barulho passar”, conta Bianca Ellen.

Para se ter uma ideia, um cachorro consegue detectar a origem de um som em apenas seis centésimos de segundo e o escuta quatro vezes mais longe que uma pessoa, ou seja, enquanto um homem escuta alguém o chamando a dois metros de distância, um cão ouve mesmo estando a oito metros.

Além disso, os caninos também detectam sons em frequências menores e maiores do que a gente. Enquanto um humano detecta a frequência de 16 Hertz a 20mil, um cachorro vai de 10 a 40mil Hertz.

Um bom exemplo de como a audição dos cães é mais apurada do que a nossa, são os aptos ultrassônicos. Aqueles apitos usados geralmente por treinadores e adestradores, que nós humanos não conseguimos ouvir.

Se os apitos ultrassônicos conseguem ser ouvidos bem pelos animais, enquanto que por nós não, imagine os fogos de artifício, que possuem um som que pode ser alto até para pessoas.

 

Dicas

“Eu tento pegar no colo, conversar e dizer que não é nada. Mas não tem muito o que se fazer”, reclama Bianca. Mas existem algumas dicas que podem ajudar os cãezinhos a se protegerem durante queimas de fogos ou tempestades de raios.

Primeiramente, colocar a placa de identificação no animal pode ajudar a encontrá-lo caso ele fuja. Outra dica é colocá-lo em algum local dentro de casa em que ele possa se sentir seguro, ligue a tv ou uma música e vá aumentando o volume para que ele se acostume com o barulho. Fechar portas e janelas para evitar fugas.

 Há ainda vídeos em que adestradores auxiliam os donos a ajudar seus pequenos pets a enfrentar os momentos de estresse. 

 

Listar Todas Voltar