Weby shortcut 1a5a9004da81162f034eff2fc7a06c396dfddb022021fd13958735cc25a4882f
4884

Mulheres no jornalismo: uma maioria silenciada

Atualizado em 05/05/15 09:00.

Apesar de as mulheres serem maioria na categoria, são os homens que ocupam as posições de maior importância e prestígio.

Por: Ana Maria Antunes 

mulheres jornalismo 1

Katherine Viner é a primeira editora-chefe do The Guardian em quase dois séculos. (Reprodução: The Guardian)

No início do ano o The Guardian anunciou sua primeira editora-chefe mulher nos quase duzentos anos de jornal. Katharine Viner estava há dezoito anos na empresa e era editora-chefe na sucursal americana, além de ter ocupado o cargo de editora na revista Weekend. Mas a problematização é válida: por que em tanto tempo nunca houve uma mulher em posição tão alta?

Segundo uma pesquisa de 2012 presente no livro Perfil do jornalista brasileiro, naquele ano as mulheres representavam 63,7% da categoria, enquanto os homens eram apenas 36,3%. A pesquisa também afirma que o percentual feminino deve crescer já que nos profissionais de até trinta anos 69% são mulheres.

Por outro lado a pesquisa traz outro dado que compara os salários dos jornalistas por gênero e o choque vem aí: nos cargos que recebem acima de cinco salários os homens são maioria com 46% enquanto as mulheres são apenas 31,9%. E quando subimos a renda para acima de dez salários a diferença grita um pouco mais: são 17,8% dos homens e apenas 8,7% de mulheres.

 

Muito além da categoria

charge lute

(Charge: Lute)

Segundo a professora do curso de jornalismo da UFG, Angelita Pereira, o problema da diferença de remuneração vai muito além da profissão do jornalismo e do gênero. A “justificativa” para a remuneração mais baixa da mulher é a visão estereotipada de que ela trabalha fora para ajudar em casa.

Do ponto de vista empresarial, ela apresenta mais despesas por engravidar, por se ausentar em caso de doenças na família. Por outro lado, a professora ressalta que as mulheres costumam ter mais anos de escolaridade, mais de uma gradução, pós-graduação uma vez que, por conta desses preconceitos, ela precisa mostrar o dobro de competência para conseguir uma boa posição no mercado.

 

Fonte: FIC

Listar Todas Voltar