Weby shortcut
4884

Seleção brasileira se prepara para Copa América

Atualizado em 31/03/15 09:24.

Dunga renova estilo de jogo da Seleção Canarinho

Por Matheus Geovane

Após uma Copa do Mundo que era para ser dos sonhos, mas se tornou um pesadelo, a Seleção Brasileira, voltou a ver o antigo técnico, Dunga, ex-atacante do time canarinho. O novo técnico renovou a cara da seleção trazendo novos ares para o ataque do time, com antigos nomes muito conhecidos pela torcida.

Sob o domínio Dunga a seleção jogou oito vezes, venceu todas. Nos duelos disputados desde agosto do fatídico e amargo ano de 2014, o técnico vem testando uma nova cara para o time e vem conquistando aos poucos a torcida novamente. Nos dois últimos confrontos, um contra o Chile, outro contra a França, foram duas vitórias. Confira melhores momentos. 

O ataque

Atacantes comemoram gol em jogo contra Chile

Neymar comemora com Elias e autor do gol Roberto Firmino (Fonte: Agencia Reuters)

Um dos principais problemas da seleção na Copa foi o ataque. No jogo da semi-final, contra a Alemanha, fomos atropelados pelo sete gols marcados sucessivamente, sem chance de respirar, sem ataque brasileiro. Neste jogo, uma das estrelas do time não estava em campo, Neymar, havia se contundido no jogo e não entrou para o jogar no dia.

Sem o ídolo o time parecia totalmente perdido, sem rumo e sem perspectivas de jogo. Assim como no único desafio que o ex-técnico Luiz Felipe Scolari enfrentou sem o craque, a experiência não foi das melhores. Por isso, Dunga sabe que precisa do camisa 10 e precisa também testar a sua ausência para ver como o time se comporta.

O técnico destacou a importância do ídolo: “Ainda não testamos sem ele, mas precisamos. Fica difícil imaginar, pois ele é uma referência técnica e também de competitividade.” Dunga ainda não testou jogar sem o craque ainda mais que em seu time Neymar carrega a responsabilidade de capitão.

Perspectivas

A convocação para a Copa América será em maio, daqui até lá uma coisa é certa: Neymar está na lista. O restante do time deve permanecer semelhante às convocações anteriores, já que muitos jogadores acertaram, jogaram bem, porém outros não se destacaram como esperado, mas provavelmente seguem na lista.

Neymar foca em seu trabalho e se torna cada vez mais uma referência no time sobre tudo agora com a abraçadeira de capitão. Ele se mostra um líder quando afirma que perdeu junto com o grupo para a Alemanha e Holanda. “Mesmo não jogando, perdi junto com todos, fazia parte do time, então perdemos juntos.”

Uma coisa é certa, o camisa 10 é referência e os números não escondem isso, a seleção é superior com o atacante em campo, joga melhor, cria mais e não perde. Desde a chegada do atacante, com ele em campo, o time nunca perdeu.

Agora resta saber como os jogadores se comportarão na primeira competição após a catastrófica copa do mundo de 2014. Com Neymar, talvez sem ele, o torcedor vem esperando resultados para confiar novamente no time canarinho.

Veja a última convocação do técnico, com ela se pode ter uma pequena perspectiva do grupo que disputará a Copa América em Julho.

 

Listar Todas Voltar