Weby shortcut
4884

Greve nas universidades

Atualizado em 31/03/15 09:48.

Paralização pode ter início no mês de maio

 

Por Luiz da Luz

 

Greve na educação

As centrais sindicais, federações representativas, sindicatos e associações já sinalizam paralizações para abril, com mobilização de greve para maio. Informação essa que pode ser obtida nas páginas da FASUBRA, ANDES, PROIFES, SINASEFE, ADUFG e SINT-IFESgo. Para os trabalhadores das instituições federais a luta é por 27,3% de aumento, numa tentativa de corrigir o que a inflação tem corroído.

De forma contida o PROIFES, federação que defende a categoria de professores nacionalmente, convoca seus filiados “para o eventual exercício de seus legítimos instrumentos de pressão, quando e se necessário” não mencionando a palavra greve.

Já para o ANDES, sindicato nacional que representa os docentes, a possibilidade de greve é real, sem nenhum eufemismo. O sindicato convoca seus filiados para a Jornada Nacional de Lutas que acontece esse ano “com a discussão sobre o indicativo de greve dos SPF”.

 

Mobilizações

As mobilizações de categorias de base já se iniciaram, o SINT-IFESgo, sindicato que representa técnicos administrativos em Goiás informa que foi aprovada a paralisação para abril em algumas unidades de ensino.

Além da pressão por ganho real no salário, os sindicatos apontam questionamentos a cerca dos direitos trabalhistas. A medida provisória 664, publicada no diário oficial do poder executivo, altera mudanças na obtenção do seguro-desemprego, beneficio concedido quando um trabalhador perde o emprego.

 

Abaixo vídeo da última greve dos professores em Goiânia.

 Fonte: FIC

Listar Todas Voltar