Weby shortcut 1a5a9004da81162f034eff2fc7a06c396dfddb022021fd13958735cc25a4882f
4884

Curtir, comentar, compartilhar

Atualizado em 31/03/15 10:32.

A legitimidade do uso de imagens nas mídias sociais é questionável

Por: Mariana Faria

31/03/2015

 

Redes Sociais

 Foto: Reprodução

O compartilhamento e uso de imagens nas redes sociais, fatos cotidianos para a atual geração, têm se tornado problemas que envolvem privacidade e exposição de origem duvidosa. Usuários das redes têm questionado a forma como essas imagens são apropriadas.

Baseado em sua experiência pessoal, o estudante da Universidade Federal de Goiás, Abdul Muchingeca, disse que as imagens, em sua maioria, mostram algo de personagens centrais de uma história para que o público se identifique, mas nem sempre são verídicas ou utilizadas de forma ética.

Doutorando na UFG na vertente de novas mídias, Leon Rabelo afirmou que as novas tecnologias de redes trazem pontos positivos, mas também trazem pontos negativos. Rabelo disse que os danos à privacidade são inegáveis, porém é um problema para o qual ainda não há soluções.

Entre a audiência, existem usuários a favor do compartilhamento de imagens nas redes sociais, prioritariamente no facebook, como o estudante de Letras na Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Delamare Fernandes. “É um direito das pessoas compartilharem aquilo em que acreditam desde que assumam as responsabilidades e consequências, que envolvem, principalmente, a falta de privacidade”, disse.

Opiniões

Igualmente a favor da utilização de imagens nas redes, a estudante de Jornalismo, Thaís Alves concorda com os compartilhamentos até certo ponto. “Como tudo na internet, é preciso ter prudência e limites, seguindo sempre o mandamento que os direitos de alguém acabam onde começam os direitos do outro”, afirma.

Em outro ponto de vista, Muchingeca, que duvida da proveniência dos motivos que levam ao compartilhamento, disse que a veracidade dos fatos compartilhados não lhe é garantida. “Tudo vai depender do assunto, porque dependendo dele, é a nossa personalidade que fica exposta e associada ao que compartilhamos”, reiterou. 

Causas

Rabelo justificou que as redes sociais são cada vez mais vistas como naturais e óbvias, e o indivíduo compartilha, curte e comenta o que vê nas redes na igual medida que usa de outros elementos técnicos para viver na sociedade. Delamare Fernandes disse que a instantaneidade das interações na Internet e a possibilidade de respostas imediatas para o que é publicado estimulam os compartilhamentos.

Abdul Muchingeca afirmou que é o nível educacional, moral e cultural de cada um que poderá definir regras, visto que as redes sociais são um espaço público e cada um posta o que lhe convier. “A utilização de imagem nas redes sociais não deve nunca ser tutelado ou mesmo banhado de regras porque seria talvez o regresso da censura”, assegurou.

 

Fonte: FIC

 

Listar Todas Voltar