Weby shortcut
4884

Por uma questão de ordem

Militantes que lutam pelo tranporte público tem prisão preventiva decretada em Goiânia

por Ludimila Mendonça

 

O juiz Oscar de Oliveira Sá Neto decretou a prisão de três estudantes que participavam de uma organização social de luta pelo transporte. Na madrugada de 23 de maio a Polícia Civil cumpriu o mandato de busca e apreensão de Ian Caetano, Heitor Vilela e João Marcos. Outro estudante também teve sua prisão decretada, Tiago Madureira, mas ele se encontra foragido. De acordo com o documento de decisão sobre o caso, o motivo das prisões era impedir a intranquilidade social.

Os estudantes foram acusados de depredação do patrimônio público e privado e de se organizarem de forma criminosa. Eles foram responsabilizados pela incitação a violência que levou a quebra de mais de 100 veículos do transporte público. Os ônibus depredados são fruto de inúmeros protestos, muitos deles não organizados, que ocorreram espontaneamente em terminais de ônibus na região metropolitana de Goiânia.

Na casa dos estudantes foram apreendidos materiais como panfletos, gaze e luvas de borracha. Tais materiais foram considerados pelo juiz como provas que incriminam os militantes.

A operação intitulada "2,80" referência ao atual preço da passagem, foi comandada pela D.R.A.C.O, Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas, órgão da Polícia Civil goiana. Esse grupo vem investigando há meses as atividades de militância da Frente de Luta Go, movimento que luta por acessibilidade e melhorias no transporte.

Até a data de hoje, os três estudantes continuam presos na CPP, por tempo indeterminado, o pedido de Habeas Corpus feito pelos advogados que acompanham o caso foi negado.

Fonte : FIC

Listar Todas Voltar