Weby shortcut
4884

Música erudita e a nova geração

Ivan M. Quintana é um dos jovens brasileiros que buscam e sonham com a música erudita como carreira

Por Carmem Curti

Ainda há, em nosso país, a ideia - gerada pela ignorância e falta de incentivo em educação e cultura - de que não se pode ganhar a vida com a arte. Com música clássica, então, é quase  impensável. Muitos jovens se entregam e se deixam desestimular, mas o violinista Ivan M. Quintana segue firme na vontade de viver da música e para a música.

ivanIvan com o seu violino. Reprodução: Facebook

Jovens Jornalistas: Como você começou na música?

Ivan M. Quintana: A música era sempre uma constante em minha casa; por volta de 4 anos comecei a praticar violino, incentivado por meus pais. Eles foram me ensinando e fui gostando cada vez mais.

JJ: Como foi começar em algo que não é tão comum assim entre os outros jovens? O que foi o seu maior motivador?

Ivan: Creio que meu maior motivador foi a música em si, pois eram raros os momentos em que eu não estava escutando algo bom, e eu só queria fazer parte daquilo.

JJ: Você tem um plano de carreira na música?

Ivan: Claro. Minha carreira como violinista já começou e pretendo avançar cada vez mais! Tocando em orquestras, adquirindo experiência e investindo numa carreira solo.

JJ: Quais são as dificuldades para trabalhar com música erudita no Brasil?

Ivan: A música erudita no Brasil ainda tem pouca força se compararmos com os centros culturais da Europa, por exemplo; nossa estrutura ainda deve melhorar muito, para poder oferecer aos músicos condições de trabalho dignas de todo o nosso esforço durante anos.

JJ: Em Goiás há espaço para quem quer trabalhar com música erudita mostrar o seu trabalho?

Ivan: Goiás nunca foi um terreno fértil para a música erudita; A Orquestra Sinfônica de Goiânia existe desde 1993, e ainda assim, muitos a desconhecem. E nós ainda contamos com uma segunda orquestra, que agora é a Orquestra Filarmônica de Goiás. Pouco a pouco, o cenário da música erudita está mudando no nosso estado, dando mais oportunidades para músicos jovens e talentosos. Porém, a estrutura ainda deixa a desejar, em termos de planos de carreira, estabilidade e condições gerais de trabalho. Tudo isso também é extremamente necessário para que possamos exercer plenamente nossa profissão.

JJ: Que conselho você daria para quem quer começar agora?

Ivan: Boa parte do estudo da música se dá sem o instrumento. Apenas ouvindo atentamente qualquer música, seja clássica ou rock. Não há segredo para aprender; não é questão de dom, é questão de persistência.

Fonte : FIC

Listar Todas Voltar