Weby shortcut
4884

Reciclar para viver

Pessoas descapitalizadas financeiramente encontram na reciclagem uma forma de sobreviverem.

Por Wanderson André       

A partir da década de 1980, a produção de embalagens e produtos descartáveis  aumentou significativamente. Muitos governos e ONGs estão cobrando de empresas posturas responsáveis. O crescimento econômico deve estar aliado à preservação do meio ambiente. Atividades como campanhas de coleta seletiva e reciclagem de materiais descartados, já são comuns em várias partes do mundo.

A cooperativa Recicla Canedo, instalada na região metropolitana de Goiânia, contribuiu para implantação do programa de Coleta Seletiva na cidade de Senador Canedo no mês de setembro de 2013. A conselheira fiscal do empreendimento, Idaldina de Oliveira, disse que “a Coleta Seletiva trouxe estabilidade e condições dignas de trabalho. Antigamente o serviço era realizado puxando um carrinho na rua cheio de material reciclável, das 5h da manhã até as 20h da noite. Não tinha tempo de descanso e a renda era muito baixa, e agora isso mudou”.

No processo de reciclagem, além de preservar o meio ambiente, é gerado renda para várias famílias carentes. De acordo com Divina Solange, diretora comercial da cooperativa Recicla Canedo, “os materiais mais reciclados são o vidro, alumínio, papel e o plástico”. O reaproveitamento destes materiais contribuiu, significativamente, para a diminuição da poluição do solo, da água e do ar. Muitas indústrias estão reciclando materiais como uma forma de reduzir os custos de produção.

Emprego

Com a Coleta Seletiva, 80% do lixo que iria para o aterro sanitário passou a ser destinado para a cooperativa dos recicladores, a Recicla Canedo. Os outros 20% são restos orgânicos, parte destes resíduos são encaminhados à produção de adubo. Outro benefício da reciclagem é a quantidade de empregos que ela tem gerado nas grandes cidades. Muitas pessoas estão buscando trabalho neste setor como forma de vencer o desemprego. O expediente da cooperativa é de 8h por dia, de segunda a sexta-feira.

Para complementar renda Divina Solange, diretora comercial da Recicla Canedo, coleta material reciclável nas horas vagas pelas ruas de Senador Canedo. A cooperada também se dispõe a fazer faxinas para aumentar os seus ganhos mensais. A Recicla Canedo possui como comprador fiel de seu material a Copel. A empresa adquire todos os meses o papelão e o plástico. Divina explicou que cada trabalhador recebe proporcionalmente aos dias trabalhados. “Se trabalhar dois dias por semana, ganha cerca de R$ 280”, esclarece Divina.

O local onde está instalada a Recicla Canedo é alugado. “A Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA) que efetua todos os meses o pagamento do galpão e das contas de energia e água”, disse Divina. Os trabalhadores da cooperativa recebem mensalmente da iniciativa privada uma cesta básica cada um. “O pagamento dos colaboradores é feito no começo do mês ou no final”, explicou a diretora comercial do empreendimento social.

 

 

 

Fonte : FIC

Listar Todas Voltar