Weby shortcut
4884
celular

A volta da validade nos pré-pagos

Depois de proibição da Justiça, Anatel regulamenta e créditos pré-pagos de celular voltam a ter prazo de validade, mas agora são no mínimo 30 dias

Por Miqueias Coelho

Segundo dados divulgados no mês de março, o Brasil é o sexto mercado mundial de telefonia móvel, com aproximadamente 273 milhões de linhas ativas em todo o território nacional. E em se tratando dos serviços das operadoras, a grande preferência do público brasileiro é pelo pré-pago, no qual o usuário paga por um determinado valor e depois o utiliza.

Em agosto do ano passado, a Justiça Federal determinou o fim da validade dos créditos pré-pagos, ou seja, o prazo para usá-los, antes de uma data específica não poderia existir mais. A medida agradou a muitos usuários, mas a Anatel divulgou uma nota que explica uma nova resolução, e agora os prazos voltam a valer. A nova regulamentação exige o mínimo de 30 dias, e não entre sete e quinze, como antes.

Além disso, a resolução da Anatel determina que o cancelamento do plano deve ser mais simples, e a operadora não mais poderá mandar mensagens de texto com publicidade, a não ser que o usuário queira, e o fim da cobrança antecipada, entre outros benefícios.

Lorena Silva, gestora financeira, era usuária do sistema de planos pré pagos, mas o prazo pequeno de no máximo dez ou quinze dias para vencimento dos créditos fez com que ela mudasse de plano. “É difícil porque os créditos expiram muito rápido e como para tê-los de volta é necessário colocar mais, às vezes a gente não tem como e acaba perdendo”. Ela conta ainda que mudou para o plano de controle, “assim, não vejo meu dinheiro caindo pelo ralo”, afirma.

Insatisfação

Segundo Limari Ferreira, gerente de atendimento do Procon-Goiás, reclamações a respeito dos créditos vencidos são comuns. “Atualmente, quando vence, o crédito vencido só volta quando o usuário coloca novamente mais valor”, diz a gerente, “o problema é justamente esse, porque existem reclamações porque tem pessoas que não aceitam o fato de terem de colocar novo crédito”, completa.

Lorena Silva ainda diz que não adianta a Anatel prometer melhorias se o serviço em geral continua ruim. “No final das contas, não adianta ter crédito por muito tempo se nem o sinal funciona direito”, afirma.  

Limari Ferreira, no entanto, afirma que o Procon está disponível para qualquer reclamação a respeito do mau funcionamento dos serviços prometidos. “Estamos aqui para atender qualquer dúvida e reclamação, seja sobre essa nova resolução ou sobre qualquer outro problema com celular.”

Fonte : FIC

Listar Todas Voltar