Weby shortcut
4884
Terceirização de hospitais públicos

Terceirização de serviços em instituições públicas

Mudança na administração de hospitais em Goiás gera polêmica

Por: Wanderson André

A justificativa para a privatização de hospitais é a melhoria no atendimento. Recentemente, o Ministério Público recomendou que o estado de Goiás suspendesse a terceirização da gestão do hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa) para OS (Organização Social) denominada Núcleo de Saúde e Ação Social – Salute Sociale, que, em 23 anos de existência, mudou de denominação social por diversas vezes. Segundo o MP a OS se envolveu em esquemas de desvios de verbas públicas em âmbito estadual, no Rio de Janeiro, e federal.

Afinal de contas, a privatização de serviços públicos traz melhorias? Segundo o usuário do sistema de saúde pública de Goiás, Wyllian Douglas Da Silva, pouco mudou. “A demora no atendimento ainda é grande e a precariedade dos hospitais públicos continua a mesma coisa”, acrescenta Wyllian. Em nota oficial publicada na internet no dia 18 de março deste ano, o Sindicato dos trabalhadores da Saúde do estado de Goiás explicitou sua oposição ás OSs: “A responsabilidade de oferecer um serviço de saúde pública de qualidade é do Estado, assim como a administração deste sistema”.

Com a chegada deste novo modelo de gestão, o ambiente de trabalho em algumas instituições foi comprometido. A relação dos concursados com os funcionários contratados, em alguns casos, se tornou difícil.  Uma enfermeira do Hospital de Urgências de Goiânia, que preferiu não ser identificada, explicitou a falta de respeito da Gerir que administra o HUGO com os concursados. Desde que a OS chegou ao hospital ela foi mudada de posto duas vezes. O maior prejudicado diante de todos estes conflitos é a população que precisa dos serviços de saúde pública.  

Legislação

A queixa de muitos funcionários públicos em relação ás OSs é a diminuição do acesso as instituições sindicais. Na ultima reunião realizada pelo Sindsaúde, no mês passado, foram reivindicados o cumprimento do artigo 8º da Constituição Federal, que determina tratamento igualitário a todos os trabalhadores em qualquer local de trabalho.

Fonte : FIC

Listar Todas Voltar