Weby shortcut
4884

O público universitário e os espaços de Socialização

Lanchonetes e bares são usados por estudantes, professores, técnicos e afins para alívio de tensões acadêmicas.

Por: Eufrásia Songa

A construção de lanchonetes e restaurantes em campi universitários geralmente é pensada para promover a socialização. Considerando as diferenças existentes entre estudantes, docentes, funcionários e o público em geral, esses espaços são conduzidos pela Universidade de formas a aproximar os elementos dela integrantes.

No campus II da Universidade Federal de Goiás existem vários recintos de socialização, dentre eles: o Centro de Conveniência, autodenominado CC, o restaurante Estação Reuni, que é um dos mais recentes, o restaurante Gurupí, vulgarmente conhecido como a Pamonharia, o Bar Raimundo, o restaurante Delícias, a lanchonete do Diretório Central de Estudantes (DCE) e o Restaurante Universitário (RU).

Sossego

O clima nesses recintos é, na sua maioria, diferente do ambiente em sala de aula, que é um lugar geralmente fechado e com luz artificial. Os espaços de socialização são abertos e com muita luz. É típico ver muita gente, conversando, rindo ou até mesmo lendo; e a intensidade do barulho depende da quantidade de pessoas. Sem falar que quase sempre tem uma televisão ligada.

Para Priscila Lima, estudante de Ciências da Computação, que frequenta diariamente as lanchonetes e os restaurantes do Campus II, estes espaços são usados para consumir alimentos e não só. “Às vezes procuro comida, porque geralmente estou com fome. Outras vezes, procuro espaço para estudar – quando a biblioteca está fechada ou longe - e também frequento para dispersar, conversar um pouco com os amigos”, declara a estudante.

Apesar do coletivo diversificado, os espaços são mais frequentados por estudantes - maior público da Universidade - que, em meio à árdua carga horária, anseia encontrar descanso mental (mesmo que rápido) por meio da interação com pessoas que compartilham da mesma realidade acadêmica. Dizer que a socialização ocorre, na maioria das vezes, durante os intervalos das aulas e/ou trabalhos e no horário de almoço.

 

Listar Todas Voltar