Weby shortcut
4884
A bandeira g0y

G0ys: Homens que preferem homens, mas não se dizem gays

Eles se consideram héteros e defendem a relação homoafetiva, desde que não haja penetração. O grupo que surgiu nos Estados Unidos ganha cada vez mais adeptos. 

Por Miqueias Coelho

Nem sempre onde há fumaça, há fogo. E nem sempre quando um homem se relaciona intimamente com outro, ele é gay. Ou bissexual. Ao menos essa é a filosofia dos "g0ys". O nome se escreve exatamente assim, onde pegou-se a palavra "gay" e trocou a letra "a" por um zero.

Segundo o site brasileiro heterog0y, o movimento surgiu de forma espontânea nos Estados Unidos, em meados dos anos 2000. Uma das justificativas é de que a prática já é conhecida desde os tempos da Grécia antiga. “Nós resgatamos comportamentos saudáveis e bons que já existiam no passado”, afirma Matheus Werneck, que faz parte da página.

A definição de g0y pode ser encarada por muitos com estranheza, mas para eles é bastante clara. Segundo o Espaço g0y e afins, grupo que é mantido por seguidores dessa prática e tem mais mil de membros no Facebook, o g0y é um “heterossexual mais liberal”, praticando apenas “brincadeiras” com outros homens. “Isso quer dizer que vale beijar, abraçar, fazer carinhos, se masturbar juntos e até fazer sexo oral”, afirma Claudio Lapaz, um dos administradores da página.

Ainda segundo Lapaz, um g0y não tem a obrigatoriedade de se desligar do chamado mundo gay. “Não há proibição de envolvimento com o mundo gay e aqui cada um segue com a vida da forma que achar mais conveniente. A única diferença é que, se existe penetração, você é gay, e se não, você é g0y”, afirma.

Preconceito

A psicóloga Andreia Silva analisa que há quem se identifique nesse grupo para fugir do preconceito. “A categoria gay sempre foi estigmatizada. Então pode se tomar posse de outra categoria [a de g0y], para fugir da depredação social.”

Mas ela ressalta que tudo isso pode ser apenas reflexo de uma era de mais liberdades sexuais, onde as relações estão mais informais. “As pessoas aceitam muito mais os desejos e as preferências do que antigamente, e  enquanto é muito mais aceitável que grupos como esse surjam, ao mesmo tempo existe uma resistência a aceitação de diferentes ideologias e práticas”, afirma a psicóloga.

Gouinage

Nem todo homem que se relaciona com outro sem penetração é g0y. Outra prática semelhante, porém entre pessoas do sexo masculino assumidamente homossexuais, tem ganhado conhecimento e cada vez mais adeptos nos últimos tempos, É a prática do gouinage.

O estudante de Biologia Fernando Ferreira é um dos chamados gouines. Ele afirma que ainda existe muito preconceito e falta de informação. "Dentro do universo gay tem muito preconceito com os gouines, pela nossa preferência sexual, talvez porque ainda hoje há o estereótipo de que não existe outra forma de se relacionar sexualmente", afirma o estudante.

Segundo Andreia Silva, deve-se tomar cuidado com o tratamento usado. “Muitos consideram esses grupos moda passageira, apenas pelo fato de que veio ao conhecimento geral agora. Mas existem pessoas que podem viver muito bem assim, o que não podemos é trazer definições estereotipadas”, explica.

Fonte : FIC

Listar Todas Voltar