Weby shortcut
4884

Navegando e comprando

Compras pela internet viram febre

Compras facilitadas pela internet

Por Sthéfany Alves

Agora é moda é sair adquirindo produtos pela internet. Seja pela facilidade, pelos descontos ou pelas formas de pagamento, o fato é que esse modo de comprar tem conquistado cada vez mais adeptos. A empresária Hannah Vasconcelos diz ser uma amante das facilidades que o mundo da web traz. “A maior vantagem de se comprar pela internet é a rapidez e facilidade, você pode estar em qualquer lugar e a qualquer hora, pode estar no conforto da sua casa. A praticidade, em minha opinião, é o primeiro ponto a ser levado em consideração.”, enfatiza Hannah.

Os preços são, normalmente, bem mais camaradas. Aquele livro que você tá louco atrás na livraria, às vezes custa a metade, ou até menos, em sites como o da própria livraria. E ainda não existem filas, a internet é um lugar tão lindo que não te faz perder tempo com filas”, afirmou o estudante de Engenharia de Alimentos Pedro de Oliveira, que também faz compras pela internet frequentemente.

O que tem mais chamado a atenção dos consumidores são os sites de compras coletivas, que funcionam do seguinte modo: um site oferece um produto com um grande de desconto, que varia de 50% a 90%, durante 24 horas. Mas esse preço baixo só se torna legítimo se um determinado número de pessoas comprarem a oferta. Depois de atingido esse número mínimo, o que normalmente acontece, todos os que compraram podem adquirir os cupons que dão direito à promoção.

 

Benefícios

 

Os sites de compra coletiva seguem o ritmo da modernidade. Pessoas sem tempo e presas à rotina vêem na internet uma compensação à falta de disponibilidade, e é com isso que esses sites vêm ganhando. O economista Edilson Aguiais afirma que o tempo que a promoção fica no ar é o que mais influencia na hora da compra. “Como o consumidor vê que a promoção fica por pouco tempo, ele acaba comprando, mesmo que não precise tanto daquilo, isso é um estímulo, já que algo tão barato ganha o caráter de ‘imperdível’.

É um comércio puramente pautado na propaganda máxima de seus benefícios. Mas não só em sites de compra coletiva, como também em todos os tipos de site, o comércio virtual só cresceu economicamente nos últimos dois anos. Só no ano de 2012, as compras pela internet movimentaram mais de 3,7 bilhões na economia”, afirma Edilson.

 Já existem também, sites que funcionam como uma espécie de brechó, onde as pessoas que tiverem algo já usado que queiram passar para frente, podem oferecer no tal site, assim como comprar as demais ofertas. Aparelhos eletrônicos, roupas, bolsas, livros e até móveis são oferecidos nesses sites. Geralmente, esses sites têm conexão com as redes sociais como o facebook, funcionando também no mesmo.

 A publicitária Aline Montalvão já anunciou várias vezes no enjoei.com, que é um desses “brechós virtuais”. “Já vendi sapatos que não queiram mais, um casaco que não fazia mais meu estilo, e até um abajur antigo. É tudo muito seguro, as transações são feitas por um site de pagamento, que parcela no cartão de crédito para quem compra. É seguro para quem compra e para quem vende. Além disso, é uma vitrine virtual linda, que além de tudo incentiva a reutilização e combate o desperdício”, enfatizou Aline.

 

Adversidades

 

Apesar de todas as facilidades, é preciso ter bastante cuidado no ato da compra. “ Nunca tive problemas com compras online, mas claro que existe a questão do extravio, da sua compra demorar mais do o que foi combinado no site. É importante sempre comprar em sites que tenham boas indicações, pois sempre tem gente querendo passar a perna, sem intenção de enviar o que você comprou, apenas de ficar com seu dinheiro”, aconselha a estudante Bruna Dias, assídua consumidora online.

Não poder experimentar o produto, nem ver fisicamente aquilo que se está comprando, são alguns dos elementos contra as compras pela internet. Contudo, o comércio virtual tende a continuar crescendo, uma vez que teve um avanço incontestável em 2013.

“A criação e expansão de muitos sites de compras coletivas, brechós virtuais e sites para compras via internet de empresas físicas como supermercados e lojas de departamento, tende a continuar e ser cada vez mais presente na vida da população que pede por facilidade”,explica Díogenes Carvalho, especialista em Direito do Consumidor. O fato é que o consumidor da atualidade tem pressa, e o comércio virtual veio para suprir essa demanda.

 

 

Fonte : FIC

Listar Todas Voltar