Weby shortcut
4884

O sucesso dos RPGs

Com milhares de jogadores, premiações generosas e campeonatos gigantescos, os jogos de RPG saíram do universo nerd para ganhar o mundo

Por Bruna Aidar

Final do Campeonato Mundial de LoL, em Los Angeles

Foto: Divulgação

 

O futebol anda perdendo espaço como unanimidade no Brasil. Nos últimos anos, o UFC, de artes marciais, por exemplo, arrecadou públicos gigantescos e atraiu investimentos milionários. Mas outra modalidade, que os defensores mais ferrenhos acreditam ser também um tipo de esporte, também vem chamando atenção: os e-Sports.

Jogados online e em times, os RPG e MMORPG têm milhões de adeptos em todo o mundo. Um deles, chamado League of Legends (LoL), contava com 12 milhões de jogadores por dia em 2012, segundo um artigo da Forbes. Hoje, o número ultrapassa os 25 mil diários. É o game mais jogado do mundo. Tamanha audiência resultou em campeonatos de grande porte, equipes de alto nível e premiações generosas. 

Só o campeonato brasileiro de 2013 distribuiu um total de 100 mil dólares aos vencedores – o primeiro colocado, a equipe PaiN, levou US$ 30 mil. O evento contou com a presença de mais de 8 mil pessoas. A premiação do mundial vai além: o time vencedor leva pra casa US$ 1 milhão, num campeonato com mais de 15 mil presentes (o torneio lotou o Staples Center, estádio que sedia jogos de basquete). O brasileiro de 2014, por exemplo, vai ser realizado no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, que comporta 1 mil pessoas.

Paulo Victor França é adepto dos jogos e já integrou várias equipes. Ele não faz parte de nenhuma regularmente, mas ajuda os times de vez em quando. Ele já ajudou três times, que atuam, entre outros, no Tibia e no World of Warcraft (WoW), dois títulos de enorme fama. A diferença do WoW é que ele se encaixa na categoria de MMORPG, que são aqueles em que o jogo continua mudando mesmo que o jogador não esteja online. 

E não é só diversão: “Estratégias precisam ser estudadas. Então existe um treino regular”, diz França. Algumas equipes moram juntas em uma casa e recebem um salário mensal para treinar – que varia de R$ 800 até R$ 3 mil. Mas enquanto Tibia e WoW têm rankings mais mutáveis – LoL e Dota permitem combates diretos e mais definitivos e por isso existem mais campeonatos. As equipes têm sete jogadores (dois ficam na reserva) e um treinador.

Além da PaiN, o Brasil ainda tem muitos times: CNB, Keyd, RMA, vTi LG Ignis,entre outros. Os EUA reconheceram os campeonatos de LoL como liga esportiva. Agora, eles são como a NBA (basquete) e a NFL (futebol americano) e os jogadores têm autorização para entrar no país para disputar campeonatos. Os RPG saíram de vez do universo nerd. A história agora é séria.

 

Fonte : FIC

Listar Todas Voltar