Weby shortcut
4884

Qual o limite da internet?

Em época de acesso rápido, banda larga e conexão inteligente a privacidade se tornou preocupação secundária para inúmero usuários da rede  

O compartilhamento e uso de imagens nas redes sociais, fatos cotidianos para a atual geração, têm se tornado problemas que envolvem privacidade e exposição de origem duvidosa. Usuários das redes questionam a forma como essas imagens são apropriadas, já que, em sua maioria, elas mostram algo de personagens centrais de uma história para que o público se identifique, mas nem sempre são verídicas ou utilizadas de forma ética.

Doutorando na vertente de novas mídias, Leon Rabelo afirma que as novas tecnologias de redes fazem parte da dinâmica de sociabilidade de um grande número de pessoas, e que da mesma maneira que trazem pontos positivos, trazem também pontos negativos. Rabelo diz que os danos à privacidade são inegáveis, porém é um problema para o qual ainda não há soluções. “Fala-se em leis, em controles da própria coletividade, mas não há ainda nenhuma solução à vista”, alega.

A única decisão já tomada, foi a da ministra do STJ, Nancy Andrighi, em 22 de junho deste ano, de que mensagens consideradas ofensivas ou impróprias publicadas em redes sociais terão que ser retiradas do ar em até 24 horas após as denúncias. As empresas responsáveis por serviços de e-mail terão que ajudar a Justiça a localizar os remetentes das mensagens ofensivas.

O estudante de Letras na Pontifícia Universidade Católica de Goiás e usuário das redes, Delamare Fernandes, acredita que as redes possibilitam um contato com uma pluralidade de pessoas, e, portanto, é natural que haja compartilhamento de ideias e interesses comuns. “É um direito das pessoas compartilharem aquilo em que acreditam desde que assumam as responsabilidades e consequências”, diz.

Apesar das redes sociais terem trazido liberdade aos usuários, quando mal utilizadas podem gerar transtornos irreparáveis. A Polícia Civil do Piauí, por exemplo, investiga a morte de uma adolescente de 17 anos na cidade de Parnaíba. A suspeita é que a jovem tenha se matado depois que um vídeo íntimo em que ela aparece fazendo sexo vazou na internet através de redes sociais. A adolescente se matou neste último domingo, dia 10, depois de deixar mensagens no Twitter anunciando a própria morte, se despedindo e pedindo desculpas a mãe.

A situação é dramática e se repete cada dia mais. O caso que teve maior repercussão foi o de Fran Santos, de Goiânia. O vídeo de Fran com o ex parceiro foi compartilhado milhares de vezes e ela acabou virando piada na internet. “Meu celular não parava. O pessoal ligando, ligando. Eu fiz o boletim de ocorrência na sexta-feira. O pessoal não tinha dado muita importância. Quando foi na segunda-feira, eu vi a proporção que tava”, conta em entrevista concedida ao Fantástico.

Fran, que é mãe de uma menina de dois anos, teve que mudar de aparência, deletou sua conta no Facebook, onde pessoas já haviam a exposto, bem como sua filha, parou de trabalhar e hoje evita até mesmo sair de casa.  

Categorias : Tecnologia

Listar Todas Voltar