Weby shortcut
4884
lixo na rua

O lixo de hoje é o transtorno do amanhã

Além de ser desncessário, jogar lixo na rua é um hábito pouco educado e que traz consequências desagradáveis para a cidade

Por: Sara Luiza

Em tempos que a consciência ambiental é amplamente discutida e divulgada, jogar lixo na rua é visto no mínimo como um hábito desnecessário e que mostra a falta de educação do ser humano em sua essência. Durante um dia, a quantidade de materiais que chegam às mãos das pessoas e que podem ser descartadas pela inutilidade é enorme. Os últimos dados do IBGE mostram que o Brasil produz cerca de 228 mil toneladas de lixo por dia. Em Goiânia, o número é de pouco mais de três mil a cada 24 horas.

Segundo informações Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) existem ao todo 4000 coletores de rua para limpar a área urbana e 100 mil lixeiras distribuídas dentro de toda a cidade. Os números são grandes, e segundo o servidor público, João Sérgio de Araújo, eles tem melhorado bastante nos últimos anos. Segundo ele: “a cidade de hoje está bem mais limpa, há alguns anos a situação era bem pior, as pessoas eram sem consciência, jogavam qualquer lixo na rua ou em terrenos baldios. A limpeza pública era mais deficiente também”.

Educação

O conjunto entre escola e pais pode ser uma das soluções mais práticas e concretas para a problemática do lixo. Para a professora Jôse Colombo, as crianças conseguem aprender muito rápido sobre a prática de jogar lixo nos lugares certos e até repreendem os pais que não seguem essas regras. Mas segundo a educadora, o número de crianças que assimilam essa informação para o resto da vida ainda não é total. “A maioria aprende, sabe fazer as tarefinhas, sabe responder perguntas sobre o assunto, etc. Mas é a minoria que põe o que aprendeu na prática”, explica.

Para ajudar na conscientização da população, a Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) conta com o apoio de diversas instituições que fazem parte da campanha de Educação Ambiental, tendo como foco principal a coleta seletiva. A participação da comunidade no processo começa nas escolas e tem como divulgadores os próprios alunos que se conscientizam e passam isso adiante, portanto, a educação ambiental ainda continua sendo a forma mais eficaz de diminuir os lixos pelas ruas.

Consequências

Além de a cidade ter seu aspecto visual depreciado pelo lixo na rua, as consequências que a falta de consciência dos moradores têm podem ser visto durante as chuvas. As vias fluviais acabam concentrando um grande número de detritos e não abrem espaço para o caminho natural da água, com isso as enxurradas não fazem o curso natural e acabam ficando empossadas nas ruas. Com a água parada, várias doenças podem acabar se proliferando como a Leptospirose (transmitida pela urina de ratos) e também o crescimento de mosquitos da dengue que se proliferam em água parada.

Para a professora Jôse, podemos esperar um futuro melhor se as crianças de hoje levarem os conhecimentos sobre o lixo e suas conseqüências para o resto da vida. O futuro depende não só de crianças, mas também de quem as educa (em casa ou escola) e quem dá o exemplo hoje.

 

 

Fonte : Facomb

Categorias : meio ambiente

Listar Todas Voltar