Weby shortcut
4884
NEGRA

Goiânia recebe 1º Circuito da Igualdade Racial

O evento busca valorizar a cultura negra e também discutir questões relativas ao racismo e minorias

Por Lorraine Carla

A Secretária Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) em parceria com o Conselho Municipal de Igualdade Social realizam pela primeira vez na capital o “Circuito da Igualdade Racial de Goiânia – 2013”. O evento faz parte das comemorações do Dia Nacional da Consciência Negra que é celebrado no dia 20 de novembro.

O circuito teve início no dia 19 de outubro e vai até o dia 30 de novembro. Na sua programação estão inclusos seminários, palestras, rodas de conversa, oficinas, atividades culturais como rodas de capoeira e samba além de uma mostra de cinema negro.

De acordo com a Secretária Municipal de Promoção de Igualdade Racial, Ana Rita de Castro o objetivo do circuito é promover por meio de atividades educativas a valorização da cultura e a superação do racismo.

“Queremos fortalecer a luta pela construção de uma sociedade pautada pelo respeito e valorização da diversidade étnico-racial, de gênero, sexual e religiosa."

CN

Folder de Divulgação do Circuito da Igualdade Social - 2013 

Problemas Sociais

A população negra representa hoje 50% da população brasileira e sofre com problemas sociais graves como violência e alto índice de mortalidade infantil. O racismo é uma das principais causas desses problemas. No circuito serão discutidas alternativas para contonar o essa situação.

Segundo a Secretária de Igualdade Social, Ana Rita há um alto número de mortes maternas entre mulheres negras, além disso, o índice de mortalidade infantil entre crianças negras é de 50%. Segundo a Secretária o problema tem como causa principal o racismo institucional.

“Muitas mulheres não fazem o pré-natal e não buscam atendimento médico, uma das causas é o racismo institucional.”

Outro grave problema é a violência. Segundo Ana Rita em 2010 de acordo com o resultado da pesquisa “Mapa da Violência: 2013: Homicídios e Juventude no Brasil 328 jovens negros foram assassinados em comparação 35 brancos foram vítimas de homicídio.

 “A juventude negra está criminalizada, muitos desse jovens não tinham envolvimento com o crime e mesmo assim foram assassinados. Muitos desses assassinatos são cometidos pela própria polícia e esses casos não são investigados", explica Ana Rita.

Fonte : FIC

Categorias : Cultura

Listar Todas Voltar