Weby shortcut
4884
idosos

Número de idosos cresce no Brasil e se tornam mais ativos

Segundo o último Censo Demográfico do IBGE, faixa etária corresponde a 7,4% da população brasileira

Por Gabriel Trindade

“Recomeça. Faz de tua vida mesquinha um poema. E viverás no coração dos jovens e na memória das gerações que hão de vir”. Este trecho do poema “Aninha e suas pedras” de Cora Coralina demonstra o pensamento de algumas pessoas da terceira idade que continuamente procuram se reinventar.

De acordo com o último Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as pessoas com até 25 anos de idade tiveram menor representatividade no total da população brasileira, enquanto houve um aumento no número de idosos.

Os dados mostram um crescimento dos brasileiros com 65 anos ou mais na participação relativa da população, que era de 4,8% em 1991, passando a 5,9% em 2000 e chegando a 7,4% em 2010. O crescimento absoluto da população do Brasil nestes últimos dez anos se deu principalmente em função do crescimento da faixa etária adulta, com destaque também para o aumento da participação dos idosos.

A região Centro-Oeste apresenta uma estrutura etária e uma evolução semelhantes às do conjunto da população do Brasil. O número de idosos teve um crescimento, passando de 3,3% em 1991, para 4,3% em 2000 e 5,8% em 2010.

Na atividade

Marilda Moraes, 59 anos, faz parte deste grupo que cresce cada vez mais nas estatísticas. Ela dançou por aproximadamente dez anos, todos os dias, em clubes da terceira idade na capital. Atualmente, ela trabalha na limpeza de uma academia das 17h às 22h e ao sábados ela faz malhação das 10h às 12h. Mãe de três filhos, ela é questionada o tempo todo por eles como consegue viver esta rotina intensa. Segundo ela, “o segredo é as pessoas procurarem a atividade, a interação. A terceira idade é a melhor idade.”

A professora aposentada, Mafalda Fonseca, 65 anos, nunca se contentou com pouco. Apesar da profissão, de ter também três filhos, nunca abandonou a sua paixão, o vôlei. Durante os anos de 1974 a 1984, ela se ausentou das quadras, porém retornou em seguida com um time composto apenas por senhoras.

“O nosso objetivo era promover a diversão e também a competição”, defende a professora. O time Vôlei Master de Mafalda foi fundado no dia 2 de abril de 1984. A mesma equipe conseguiu em 2008 organizar e realizar em Caldas Novas (GO), o XVII Campeonato Brasileiro de Voleibol Master “Damas de Ouro”, que tinha com foco a participação de atletas com idade mínima de 50 anos. Além disso, em 2010 a equipe também fez o X Campeonato Brasileiro de Voleibol Master “Damas de Esmeralda”, dessa vez em Goiânia, voltado para as atletas com mais de 55 anos de idade.

Há um ano, Mafalda está afastada das quadras devido a um tratamento na coluna. Porém, de acordo com ela, esse problema é momentâneo e pretende retornar para o esporte que tanto ama muito em breve.

Procura

O educador físico e dono de uma academia em Goiânia, Luciano de Castro Ferreira, afirma que seu estabelecimento tem alunos de até 85 anos, sendo que os idosos correspondem de 10% a 20% de seu público. Para ele, esta faixa etária procura o local pela manhã porque haveria maior tranquilidade com poucas pessoas.

“Dessa forma, eles podem revezar os equipamentos e podem ser acompanhados mais de perto por um profissional porque poucos tiveram experiência com academia antes. O nosso objetivo também é atender aquilo que, de certa forma, eles mais procuram nessa idade que é a interação”, esclarece o educador físico.

Cuidados

O geriatra, Ricardo Borges da Silva, afirma que a população idosa é a mais heterogênea de todas, por isso que pessoas neste grupo podem ter diferentes graus de incapacidade e dependência. Ele defende que alguns cuidados são fundamentais como consultar um médico antes de se inciar uma atividade, com o objetivo de controlar quaisquer doenças para evitar o risco de complicações.

“O consumo de alimentos e a adequada ingestão de líquidos deve ser também lembrada, além do uso de roupas adequadas. As atividades devem ser seguidas de alongamento, para evitar lesões articulares ou de tendões. Para cada objetivo específico, existe um treinamento diferente. Portanto, o profissional de educação física ou o fisioterapeuta precisam acompanhar o treino”, acrescenta o geriatra.

Sexualidade

Ricardo destaca que assim como todos os sistemas orgânicos, a função sexual também sofre alterações com a velhice. Ele explica que nas mulheres a libido pode diminuir devido a queda dos níveis hormonais, e nos homens pode haver problemas com ereção. Mas, esclarece que a impotência sexual não é uma alteração normal da velhice e deve ser avaliada por um médico. Para ele, nada disso impede que o casal mantenha uma vida sexual saudável.

Ele conclui suas recomendações ao defender que o uso de preservativos também deve ser estimulado, já que as  doenças sexualmente transmissíveis como AIDS, Hepatite B ou C e Sífilis também podem acontecer na terceira idade.

Fonte : FIC

Categorias : Comportamento

Listar Todas Voltar