Weby shortcut
4884
leonardolivio

Entrevista com Leonardo Lívio

Atleta e treinador de Muay Thai e MMA

Por Caroline Guimarães

Começou a lutar através de um convite de um desconhecido que sentou ao seu lado no ônibus e hoje é um atleta reconhecido internacionalmente. Já viajou para Tailândia, Holanda e Estados Unidos. Encerrou sua carreira como atleta de muay thai com 18 lutas, sendo uma só derrota e 17 vitórias, dez delas por nocaute. Hoje, com 29 anos, é atleta de MMA (Mixed Martial Arts), modalidade esportiva que mais cresce no mundo.

 

JJ: Como foi seu primeiro contato com o esporte?

 

Leonardo Lívio: Comecei a lutar por um convite de um desconhecido que sentou do meu lado no ônibus. Fui fazer uma aula de Kickboxing somente por curiosidade, e depois de dois meses já estava competindo. Aquela sensação de adrenalina, de competição e de vencer me fascinou. Algum tempo depois comecei a integrar a seleção Goiana de Kickboxing, onde participei de vários campeonatos Brasileiros, Sulamericano, Panamericano entre outros.

 

JJ: Teve alguma dificuldade no começo?

 

Leonardo Lívio: Então, nasci numa família humilde, em Brasília. Morei no entorno (Planaltina de Goiás) boa parte da minha vida e o primeiro contato q eu tive com o esporte foi lá ainda. A primeira academia q treinei era muito pequena e sua mensalidade era na média de 15 reais o valor mensal. Depois que mudei para Pirenópolis, as oportunidades se ampliaram, principalmente com o contato do meu novo treinador Emannoel Pompeu. Tive acesso a bons eventos de padrão estadual, nacional e até internacional. Depois de algum morando sozinho, vim morar em Goiânia com alguns amigos em uma república e começei a ministrar aulas em algumas academias em Goiânia e ao redor de Goiânia. Foram tempos difíceis pois não tinha como me locomover, e o principal para um profissional que ministra aulas é o tempo. Tempo este que eu perdia dentro do ônibus indo de academia para academia.

 

JJ: Você teve apoio da família?

 

Leonardo Lívio: Minha mãe apesar de ser contra, sempre me apoiou com meu sonho, sempre me ajudou na medida do possível a participar das competições que eram amadoras, e não dava remuneração pra mim. Tinha sempre um comerciante ou outro q também nos ajudava com 50 reais mais ou menos, e assim eu viajava com a seleção Goiana para disputar os eventos.

 

JJ: Como começou sua carreira internacional?

 

Leonardo Lívio: Por influência do meu treinador, conheci o Muay Thai e me apaixonei logo de cara. Era uma modalidade onde eu sentia q tinha um certo talento. Depois de algumas competições estaduais e nacionais, eu consegui uma passagem pra Tailândia em trocas de aulas de personal com um aluno. Fui beber na fonte, o que era um sonho pra qualquer um que treine a modalidade, pois a Tailândia é o berço dessa luta. Passei muitas dificuldades quando cheguei no país, era minha primeira viagem internacional e eu não falava inglês e muito menos a língua local (tailandês). Foi um choque de idioma, cultura, de alimentação e de treino. Passei três meses treinando lá, fiz três lutas profissionais e venci as três por nocaute no primeiro round. Depois que voltei, continuei a ministrar aulas em várias academias em Goiânia, até eu montar a minha. De lá pra cá, já treinei na Holanda (outro lugar onde o Muay Thai é respeitado) e EUA. Encerrei minha carreira como atleta de Muay Thai com 18 lutas sendo uma derrota e 17 vitórias, 10 delas por nocaute.

 

JJ: Hoje você só se dedica ao MMA? Como é sua rotina?

 

Leonardo Lívio: Então, hoje sou atleta de MMA (Mixed Martial Arts). Para me tornar um atleta completo dessa modalidade, treino Muay Thai, Boxe, Wrestling, Jiu Jitsu. Já treinei em várias equipes renomadas e com vários atletas de renome mundial, assim como Vitor Belfort, Alistair Overeem, Rashad Evans, entre outros.Tenho no meu cartel profissional cinco lutas, sendo quatro vitórias e uma derrota. Assim como todos os atletas, treino muito, me esforço e dou o melhor de mim para chegar ao UFC. Divido meu dia em treinar, dar aulas e administrar minha academia.

 

JJ: Você consegue um bom retorno financeiro com o esporte?

 

Leonardo Lívio: Ainda não consigo ter um bom retorno financeiro como lutador, infelizmente o esporte ainda é pouco valorizado no nosso País.

 

JJ: Qual seu maior desafio atual?

 

Leonardo Lívio: Quero realizar meu sonho de lutar no maior evento do mundo o UFC, tenho trabalhado duro nisto e sei que Deus vai me ajudar a conseguir mais esse sonho. Não só por lutar, mas porque esse sonho me proporcionaria outros, que é dar uma estabilidade financeira pra minha família, ter qualidade de vida, viajar o mundo e me aposentar em paz.

 

JJ: O que o esporte significa pra você?

 

Leonardo Lívio: Talvez se eu não tivesse conhecido o esporte, eu tinha me tornado mais um na multidão. Já consegui conhecer vários países (o que para mim é a maior riqueza), comprar coisas que nunca consegui, de comer no melhor restaurante, ter a minha academia, e acima de tudo de ter o respeito das pessoas. Hoje, graças a Deus, já passaram mais de dois mil alunos pelo os meus tatames, alunos que de uma forma ou outra, reaparecem nem q seja para dar um abraço ou me indicam para algum amigo. O esporte mudou minha vida e espero fazer isso na vida das pessoas também. Me ensinou a ter foco, força de vontade e nunca desistir, lições que levo pro ringue e pra vida. Hoje sou o homem mais feliz do mundo por fazer o que eu amo e acho que está aí a diferença.

 

JJ: Como você vê seu futuro? Quer continuar nesse ramo?


Leonardo Lívio: Um dia tenho que parar de lutar, apesar que quero procurar alguma outra coisa pra competir. Sempre gostei de superar meus limites e penso que o Triathlon pode ser uma opção, só por realização pessoal mesmo. Mas pretendo ficar na área fitness, tocando a minha academia e, se Deus quiser, expandindo os negócios e tentando repassar um pouco do conhecimento e as oportunidades q a luta me proporcionou.



Fonte : FIC

Listar Todas Voltar