Weby shortcut
4884

Os novatos de 2014

Novos partidos buscam espaço e independência para as eleições do ano que vem

Por Murillo Soares

 

No último mês, os partidos goianos focaram em filianções para concorrerem a cargos no ano que vem. E, além das agremiações já tradicionais no Estado, novos partidos foram criados, visando 2014. Os novatos disputarão pela primeira vez algum cargo e buscaram nomes significativos que pudessem somar suas legendas.

 

Aqui em Goiás, as grandes novas apostas são o Partido Ecológico Nacional (PEN), o Solidariedade (SDD) e o Partido Republicano da Ordem Social (PROS). “Já temos praticamente 50 pré-candidatos a deputado estadual”, afirma Ailson Barroso (PEN), presidente estadual do partido.

 

O Solidariedade também segue forte no Estado. O partido fez, na Câmara Municipal de Goiânia, um evento de filiação em massa do partido, no qual estavam presentes Rodrigão , vice-prefeito de Catalão, o deputado estadual Ney Nogueira, ex-PP, o deputado federal Armando Vergílio, ex-PSD e o vereador Paulo Magalhães, ex-PV.

 

O PROS, presidido regionalmente por Rodrigo Melo (PROS), conseguiu uma boa leva de vereadores em todo o Estado. Em Goiânia, Divino Rodrigues e Paulo da Farmácia, ambos ex-PSDC migraram. Ao longo de Goiás, somaram ao partido o presidente da Câmara de Planaltina, Alessandro Alves Leite (PROS), ex- PT; e, em Anápolis, Pedrinho Porto Rico, ex-PTB; e, em Aparecida de Goiânia, Jadson Corcelli, ex-PSL.

 

Alianças

 

O discurso dos novos partidos é de independência e alguns deles se declaram oposição à situação do Estado. “Somos um partido fora da base”, afirma Silvio Sousa, em relação ao SDD. O discurso se assemelha ao da Terceira Via, porém o presidente regional do Solidariedade afirma que não acredita nessa nova vertente política. “Não diria que somos uma Terceria Via, pois não acredito que isso exista. Somos um novo projeto”, complementa.

 

O discurso do PROS, por outro lado, está um pouco mais definido. “Sem chance de sairmos com chapa pura”, afirma Rodrigo Melo. Por ter um discurso que vai de encontro às ideias da base aliada, o partido caminha rumo a uma provável coligação com a oposição. Isso talvez também se dê pelo fato de que Júnior do Friboi (PMDB) é um dos parceiros da agremiação. Do outro lado da mesa, o PEN não abre mão de qualquer possibilidade, de acordo com Ailson Barroso. O mais provável é que eles se juntem à base aliada para as eleições majoritárias. “Temos uma sintonia com o governador”, explica.

 

 

Rede

 

O partido Rede Sustentabilidade, aposta de Marina Silva (PSB) que foi rejeitada pelo PSB, já tinha toda uma estrutura montada em Goiás. Por aqui, havia várias lideranças dispostas até mesmo a concorrer ao cargo máximo estadual em nome da sigla. Dentre eles, o vereador Elias Vaz, que migrou para o PSB, e o deputado estadual Major Araújo, que assinou com o PRP.

 

O deputado afirmou que a filiação ao PRP veio de um Plano B. “Com esse partido, posso tentar uma vaga na Câmara Federal”, diz. Já Eliaz, que antes havia dito que continuaria sem partido caso o Rede não desse certo, resolveu se filiar ao PSB. Segundo o vereador, a ideia é concorrer ao cargo de deputado estadual no ano que vem.

 

Confira os sites dos novos partidos, com suas histórias e ideologias:

Solidariedade

PROS

PEN

Fonte : Fic

Categorias : Política

Listar Todas Voltar