Weby shortcut
4884
Rinite alérgica

Conheça as causas e os sintomas da rinite alérgica

Poeira doméstica, ar condicionado e animais de estimação são sérios agravantes da doença

Por Lorraine Carla

A rinite alérgica é uma inflamação da mucosa que reveste internamente o nariz, causada por alérgenos. A função do nariz é limpar, umidificar e aquecer o ar no momento em que ele é inspirado. Para exercer essas funções o nariz possui um complexo mecanismo de defesa. Quando entra em contato com alguma substância tóxica o órgão desenvolve uma resposta, que pode ser um espirro ou coriza, para evitar que a ameaça chegue até os pulmões.

Pessoas com rinite alérgica respondem de maneira exagerada não só a substâncias tóxicas, mas também contra agentes que não são nocivas ao ser humano, como poeira e pólen. No inverno a alergia costuma se intensificar. Nessa época o nariz se esforça mais para ativar a respiração e manter o corpo aquecido e por isso fica mais sensível.

Segundo a pneumologista da Clínica Brasil, Cibele Frauzino Pereira, os principais sintomas da rinite são: obstrução nasal, espirros frequentes congestão e semi-obstrução nasal, olhos e nariz avermelhados. Laysse Sanches estudante de Jornalismo que sofre com a doença afirma que tem coriza e irritação nos olhos e no nariz durante as crises. “Fica o tempo todo irritado, coçando, incomodando, e afeta até os olhos, que ficam sensíveis” afirma.

A principal causa da doença no Brasil é a poeira doméstica. Segundo Frauzino ela é constituída por descamação da pele humana e de animais, por restos de pelos de cães e gatos, restos de barata e outros insetos, fungos, bactérias além de ácaros e organismos microscópicos. Pólen, fungos, pelos de animais e alguns tipos de alimento como: ovos, chocolate, peixes e leite, também são agravantes.

Há alguns fatores de risco que determinam quem vai ter ou não a alergia. O principal é deles é genético, pessoas que tem histórico de alergias na família correm maior risco. Embora existam outros motivos, como ficar exposto à fumaça de cigarro nos primeiros anos de vida e fazer uso de antibióticos. A doença não tem cura, mas se o paciente seguir as orientações médicas pode ter uma vida sem sintomas.

O tratamento recomendado para combater a rinite alérgica é feito com base em antialérgicos. Cibele Frauzino explica que os remédios podem ser de uso sistêmico, que atuam no corpo todo, como injeções comprimidos e xaropes ou de ação localizada como, cremes, pomadas, colírios, sprays e inalatórios. Outra opção para quem quer controlar a rinite é a imunoterapia.

 “São injeções com dosagens progressivas de substâncias que provocam a alergia, com o intuito de “acostumar” o corpo a receber tais alérgenos, diminuindo a sensibilidade do organismo a estes”, explica a pneumologista.

Fonte : FIC

Categorias : Saúde

Listar Todas Voltar