Weby shortcut
4884
Igualdade

Dialogar e planejar uma Goiânia sem racismo

A Secretaria Municipal de Políticas para Promoção da Igualdade Racial, SEPPIR, realiza pré-conferências em associações de bairros e grupos da sociedade civil 

 

por Lohany arnos

 As pré-conferências é uma preparação para III conferencia municipal de promoção da igualdade racial, III CONAPIR. O conselho da Seppir em parceira com comissão organizadora criou uma cartilha que serve de “instrumento de trabalho das pré-conferencias”, escrita pelas professoras Luciene Dias e Jamilly Sodré.

 A cartilha explica que as pré-conferências “são reuniões de diálogos, reflexões e debates sobre os problemas e as desigualdades étnico-raciais existentes em nosso município, Estado e país.”

Servem para discutir ações da sociedade civil em aproximação com os órgãos governamentais. Para elaborar e propor políticas públicas para o enfrentamento institucional do racismo na sociedade brasileira, que acontece combinado com outras formas de discriminação como o sexismo, a homofobia e a xenofobia.

Um dos objetivos da III Conapir é Reafirmar e ampliar o compromisso do Governo Federal e da sociedade brasileira com políticas de enfrentamento ao racismo e de promoção da igualdade como fatores essenciais à democracia plena. Os delegados vão elaborar propostas serem apresentada na conferencia nacional.

Segundo Leandro Dias, diretor de ações temáticas da Secretaria Municipal de Promoção de Igualdade Racial de Goiânia. Será escolhido cinco delegados de cada grupo, respeitando o gênero, a raça e a faixa etária. Os delegados são representantes e pesquisadores que luta pela promoção da igualdade racial na sociedade.

A conferência municipal ocorrerá nos dias nove e dez de agosto e a Nacional de cinco a sete de novembro,em Brasília. Odebate centraliza a superação das desigualdades étnico-raciais e vislumbra um país que retrate sua diversidade também nos espaços de poder e de decisão.

Segundo Igor Alencar, integrante do Coletivo de Estudantes Negras e Negros Beatriz Nascimento, Canbenas, os alunos do movimento negro da UFG esperam um pouco mais desses encontros.

Igor comenta que a conferência é uma oportunidade para que a sociedade civil explicite sua demanda diante aos gestores de políticas publicas. “Essas já são reivindicações históricas que permeiam a cena política dos movimentos sociais negros, além dos mais variados trabalhos de pesquisas que evidenciam essas demandas”, ressalta.

 

Fonte : FIC

Categorias : Política

Listar Todas Voltar