Weby shortcut
4884
Caminhão do Cata-Treco entrega a uma das cooperativas beneficiadas o lixo recolhido

Cata-Treco promete uma Goiânia mais limpa

Serviço de recolhimento de móveis e eletrodomésticos já é uma realidade na capital, porém a população reclama do atendimento

Por Cibele Portela

Devido ao grande acúmulo de lixo nas ruas da capital, a Prefeitura de Goiânia criou o Cata-Treco. O projeto que foi implantado no dia 26 de julho de 2011 tem como objetivo o recolhimento de bens domésticos inservíveis, como eletrônicos, móveis, sofás etc. O lixo ganha um destino ecologicamente correto, promovendo o aumento da renda de membros de cooperativas ligadas ao Programa Goiânia Coleta Seletiva.

Segundo o presidente da Companhia de Urbanização de Goiânia, Comurg, Paulo de Tarço, o Cata-Treco é um serviço de coleta de objetos que as pessoas não utilizam mais. “Ao invés delas se desfazerem de maneira incorreta, ligam, solicitam e agendam com uma equipe da Comurg, para eu vá até a residência buscar aquela geladeira velha, computador que não funciona mais.”, explica Tarço.

Quando inaugurado, em 2011, o projeto recebeu 200 ligações em apenas uma semana. Para o Presidente da Comurg na época, Luciano Henrique Castro, o sucesso se deu à boa adesão da comunidade, o que demonstra uma preocupação cada vez maior com a cidade e o meio ambiente.

Funcionamento

O processo de recolhimento dos objetos é iniciado com a ligação do solicitante, através dos tele atendimentos. A Comurg realiza, então, o agendamento da coleta. O material é encaminhado as cooperativas. Após a separação do lixo, os restos não recicláveis são encaminhados ao Aterro Sanitário da capital.

Todo o lixo recolhido é destinado à cerca de 300 famílias que participam das 12 cooperativas ligadas ao programa. Além de deixar a cidade limpa, o Cata-Treco auxilia na renda dessas famílias. Muitos dos objetos descartados estão e boas condições de uso, podendo ser reaproveitados ou vendidos posteriormente.

Apesar do sucesso da iniciativa, há quem reclame do serviço. A funcionária pública Valéria Martins declara que já tentou contato com a Comurg, mas nunca foi atendida. “De que adianta ter este serviço se não funciona? Há mais de 15 dias eu ligo e agendo a coleta, mas eles afirmam que estão sem funcionários e que preciso aguardar”, declara Valéria Martins.

Realidade

Goiânia produz aproximadamente 320 mil toneladas de lixo por ano, o que corresponde a um quilo de lixo por habitante, segundo dados da Comurg. Para o atual presidente da companhia, Paulo de Tarço, é preciso orientar a população para que o lixo seja descartado corretamente.

A Companhia registrou um aumento na quantidade de lixo reciclável recolhidos pelos programas desenvolvidos. De acordo com registros da Comurg, comparando os meses de agosto de 2012 e 2013, houve um aumento de 21% no recolhimento do lixo reciclável. O diretor da coleta Aílson Costa afirma que ações como essa demonstram a preocupação da Prefeitura de Goiânia com a qualidade de vida da população e com a preservação do meio ambiente.

 

Fonte : Facomb

Categorias : meio ambiente

Listar Todas Voltar