Weby shortcut
4884

Prêmio Mercosul de Ciência e Tecnologia abre inscrições

Com o tema “Educação para a ciência”, estudantes e pesquisadores poderão se encaixar em uma das quatro categorias do prêmio

Layane Palhares

 

Estudantes e pesquisadores do Brasil e de todo os países integrantes do Mercosul já podem se inscrever para o Prêmio Mercosul de Ciência e Tecnologia 2013. As inscrições e os trabalhos poderão ser enviados até o dia 19 de agosto pelo site do prêmio.

 

O tema deste ano, “Educação para a ciência”, foi anunciado pela Reunião Especializada em Ciência e Tecnologia (RECyT). O lançamento do Prêmio ocorreu simultaneamente nos países membros e associados ao Mercosule o regulamento é o mesmo para todos.

 

A premiação é dividida em quatro categorias e abrange participantes do ensino médio ao doutorado. Os candidatos podem se inscrever em uma das seguintes categorias: iniciação científica, estudante universitário, jovem pesquisador e integração.

 

Categorias

 

A categoria "iniciação científica" permite inscrição individual ou por equipes de estudantes do ensino médio, inclusive da modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA), que tenham no máximo 21 anos. O prêmio é de US$ 2 mil.

 

"Estudante universitário" é uma categoria de premiação individual, para estudantes do ensino superior (graduandos), sem limite de idade. O prêmio é de US$ 3,5 mil. A categoria "jovem pesquisador" também é individual e voltada a pesquisadores graduados com no máximo 35 anos. O prêmio é de US$ 5 mil.

 

Já a categoria "integração" destacará equipes de pesquisadores graduados, sem limite de idade. Cada equipe deve ser composta por pelo menos dois pesquisadores residentes em países membros ou associados ao Mercosul, de nacionalidades ou naturalidades diferentes. As equipes compostas por pesquisadores de um só país serão desclassificadas. O prêmio é de US$ 10 mil.

 

Premiação

 

A premiação conta com o apoio de instituições como Unesco, Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação do Brasil (MCTI) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

 

Segundo o secretário de Desenvolvimento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, Álvaro Toubes Prata, o objetivo do prêmio é desenvolver ações de redução das desigualdades sociais, de modo a que as populações do continente alcancem melhores patamares de qualidade de vida.

 

Todos os trabalhos devem ser voltados para a realidade do Mercosul, composto pela Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela, e também relacionados com educação científica dirigida ao ensino médio ou alfabetização científica no ambiente escolar do nível básico.

 

O estudante do Instituto de Física (IF) da Universidade Federal de Goiás, Rafael Silveira está ancioso para participar da categoria “Estudante universitário”. “A premiação é uma ótima oportunidade para mostar o trabalho que desenvolvemos no ambiente acadêmico e é também uma forma de estímulo para que pesquisadores de todos os níveis se engajem ao processo”, disse ele.

 

A cerimônia de entrega do Prêmio ainda não tem data e local definido. Na última edição do evento, em 2012, 155 trabalhos concorreram à premiação. O tema foi Inovação Tecnológica na Saúde.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte : Facomb

Listar Todas Voltar