Weby shortcut
4884

Intercâmbio voluntário em alta

Intercâmbio voluntário pode ser uma oportunidade de agregar esperiências pessoais e profissionais no currículo

Por Renan Nogueira

O número de intercâmbios está crescendo a cada ano. E pode ser feito de forma particular, através das agências de intercâmbio; pelas várias oportunidades do governo, ou para trabalho voluntário, como é o caso da AIESEC.

A AIESEC é uma organização mundial sem fins lucrativos que está presente no mundo inteiro. Só no Brasil são mais 40 cidades com escritório. Ela é formada por estudantes que pretendem causar um impacto positivo na sociedade.

Um dos principais programas da AIESEC é o Cidadão Global. Estudantes locais são selecionados, de acordo com o interesse, para que possam fazer um trabalho voluntário em outro país.

Na maioria das vezes esse intercâmbio é feito no Leste Europeu, na América Latina, na África ou na Ásia. Esses locais promovem um maior impacto, ou seja, uma melhor experiência, que é o intuito da organização.

Eduardo Lira é estudante de ciência da computação e diretor da área de intercâmbios para trabalhos voluntários no escritório da AIESEC em Goiânia. Ele comenta que pela organização você viaja não só pra conhecer o país e para aprender uma nova cultura.

“Você viaja para impactar um grupo de pessoas e realmente mudar a realidade delas com o que você sabe e agregar muitos valores pra você também”, comenta o diretor.

Só nesse ano Goiânia já recebeu jovens voluntários da Rússia, Turquia, Estados Unidos, Colômbia, Peru, Suíça, China, Polônia e de vários outras nacionalidades. Uma das intercambistas presente atualmente em Goiânia é a holandesa Anne Van de Bos.

Intercambistas em Goiânia

Anne chegou no Brasil em maio e vai ficar até o início de outubro. Ela disse que quando veio para o Brasil foi muito bem acolhida e que as pessoas daqui fizeram com que ela se sentisse em casa.

Anne ainda falou que através de outras organizações não se tem um acompanhamento mais de perto e que as pessoas têm que fazer as coisas por elas mesmas.

Eduardo diz ainda que qualquer pessoa entre 18 e 30 anos pode se desafiar e procurar conhecer uma nova cultura. Além disso ele lembra que existem outras oportunidades dentro da organização. “Quem ainda não se sente preparado, financeiramente, por exemplo, para viajar, pode aproveitar outras oportunidades que a AIESEC pode oferecer, como hospedar um intercambista ou apresentar Goiânia a ele”, finaliza Lira.

As informações sobre essas diversas atividades podem ser encontradas no site da organização. Lá é possível localizar um escritório mais próximo de você.

Fonte : facomb

Listar Todas Voltar