Weby shortcut
4884
cartoes

As armadilhas dos cartões de crédito

Parcelas atrasadas, preocupação com dívidas e cancelamento de cartões, eis a realidade de muitos cidadãos que extrapolam nas compras

Giuliane Alves

A todo momento, lojas de roupas, calçados, brinquedos e eletrodomésticos estão anunciando ofertas e promoções que induzem os consumidores às compras sem muitas vezes precisar do produto, fazendo assim, com que eles se endividem sem necessidade. O cartão de crédito, nesse caso, é o mais utilizado, pois ele realiza compras sem a pessoa, muitas vezes, ter o dinheiro.

A vantagem de se ter um cartão de crédito é justamente, o fato de poder parcelar o valor total do produto, explica a gerente de marketing do PROCON, Aline Montalvão. Porém, é preciso ficar de olho nos juros e manter o controle do uso do cartão para não entrar em dívidas sem fim, acrescentou ela.

Prestações suaves, promoções relâmpagos, ofertas imperdíveis, são expressões bastante utilizadas no comércio para atrair os consumidores, principalmente no fim do ano, que é uma época em que as pessoas estão mais dispostas a gastar. “Já caí na armadilha de prestações suaves, o resultado foi meu endividamento e cancelamento do cartão”, afirma o publicitário Felipe Gonçalves.

Segundo Aline Montalvão ao mesmo tempo em que o cartão de crédito é mais seguro e facilita o pagamento de produtos com valores altos, o mau uso dele pode se tornar um grande pesadelo. Por isso, sempre que possível, o ideal é fazer compras a vista, para que o consumidor possa pedir um desconto e ainda gastar somente o que têm.

Esclarecimentos

O que muitos desconhecem, explica a gerente do PROCON, é que pagamentos feitos no cartão de débito e crédito, sem parcelas, são a vista. Porém, os lojistas não consideram devido a taxa administrativa do cartão. Acontece que esse valor não pode ser repassado ao consumidor, assim as pessoas podem exigir desconto mesmo o pagamento não sendo no dinheiro.

Não sabia que poderia pedir desconto pagando no cartão, pensei que era somente no dinheiro. Mesmo assim, prefiro usar o dinheiro, pois se eu adquirir algum cartão vou gastar descontroladamente”, afirma o consumidor Nilton Moreira. O empresário Alcides Miranda também não sabia que usar o cartão para pagamento é considerado a vista, porém, conclui dizendo que usar o dinheiro sempre vai ser mais vantajoso, devido ao controle que se tem.

Para o consumidor não cair nas artimanhas das lojas e não se endividar, Aline Montalvão orienta o consumidor realizar sempre, que possível, compras a vista. Entretanto, se a quantia for alta é preferível parcelar, mas de um modo que permaneça sem a incidência de juros, ou seja, até no máximo cinco vezes. Acima disso fica inviável para loja não cobrar juros, devido à desvalorização da moeda.



Fonte : Facomb

Listar Todas Voltar