Weby shortcut
4884

Impasse político

Reformas no Centro Cultural Martim Cererê atrasam devido a desentendimentos quanto a competência das obras

 Por Carlos Eduardo Pinheiro

“Final de julho”, esse é o prazo dado pelo engenheiro responsável pelas obras no Centro Cultural Martim Cererê, Carlos Eduardo Dantas, para o fim da reforma. De acordo com ele, o atraso nas obras, que se iniciaram em fevereiro desse ano, se deu por “uma série de imprevistos”. Dentre elas, o engenheiro destaca as adaptações às normas contra incêndios exigidas pelo Corpo de Bombeiros.

 

“Essa nova demanda contempla a retirada das espumas do revestimento acústico. Enquanto as obras estavam em andamento, os bombeiros fizeram uma vistoria e exigiram a retirada desses revestimentos. Reflexo quase imediato do acidente da boate Kiss, de Santa Maria, no inicio do ano', diz.

 

 Tais contratempos envolvem o questionamento que a Procuradoria Geral do Estado (PGE) sobre a competência da obra. Ainda no ano passado, a Secretaria de Cultura (Secult) alegou que não poderia dar continuidade às obras, pois a responsabilidade por obras no Estado seria da Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop). As reformas, entretanto, foram seguidas sob responsabilidade da Secult.

 

 Impasse

A Secult ainda alegou que não poderia utilizar recursos do do Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás. O que foi solucionado com um projeto da Governadoria com alterações para permitir que os recursos fossem aplicados em programas, projetos e atividades artísticas ou culturais realizados pela Secretaria.

 

 O engenheiro responsável pelas obras enfatiza que a reforma está caminhando. Lista algumas das intervenções necessárias para que o local possa receber novamente eventos ainda esse ano. “Os pisos já foram todos trocados”, diz.

Fonte : Facomb

Categorias : política cultura Centro Cultural Martim Cererê reformas

Listar Todas Voltar