Weby shortcut
4884

Joaquim Barbosa, o homem dos grandes e dos pequenos

 

Sua origem humilde, adicionada aos méritos alcançados ao longo de sua vida, o transformaram em uma figura mítica no Brasil.

 

Danielly Mariano

O atual presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Benedito Barbosa Gomes, é mineiro, da cidade de Paracatu, advogado, formado pela Universidade de Brasília – UNB. Foi Eleito neste ano, pela Revista Time, uma das cem pessoas mais influentes do mundo.

A verdade é que ventos favoráveis têm soprado sobre Joaquim Barbosa. A origem humilde de filho de pai pedreiro, mãe dona de casa e família oito filhos, adicionada aos méritos alcançados pelo ministro ao longo de sua vida, o transformaram em uma figura mítica no Brasil.Joaquim Barbosa sempre estudou em escolas públicas, quando os pais se separaram passou a ser arrimo de família. Aos 16 anos foi sozinho para Brasília, arranjou emprego na gráfica do Correio Braziliense e terminou o segundo grau. Obteve seu bacharelado em Direito na Universidade de Brasília, onde, em seguida, obteve seu mestrado em Direito do Estado.

Foi Oficial de Chancelaria do Ministério das Relações Exteriores (1976-1979), tendo servido na Embaixada do Brasil em Helsinki, Filândia e, após, foi advogado do Serpro  (1979-84).

O primeiro presidente negro da Corte Suprema (STF), foi Procurador da Republica e professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, é mestre e doutor em Direito Público, pela Universidade de Paris, na França, é também doutor pela Universidade da Sorbonne. É fluente em francês, inglês, alemão e espanhol, além de tocar piano e violino.

O estopim de sua popularidade foi o julgamento histórico do mensalão, que envolvia o governo e o PT, do qual Barbosa, foi relator do processo. Ao ministro ficou incumbida também a relatoria do processo do mensalão tucano, no qual um dos fundadores do PSDB, o atual deputado Eduardo Azeredo(PSDB- MG), contra quem o Ministério Público Federal apresentara denúncias de crimes de peculato (desvio de dinheiro público) e lavagem de dinheiro, que teriam sido cometidos em 1998 quando Azeredo fora governador de Minas Gerais. Seu extenso e detalhado voto, que aceitava as denúncias e levava Eduardo Azeredo (PSDB-MG) ao banco dos réus, foi acolhido pela maioria do plenário, sagrando-se vitorioso por cinco votos contra três.

Barbosa é o campeão em processos no STF. Tramitam sob sua relatoria 13.193 processos, incluindo os que estão na Procuradoria-Geral da República para parecer (Agosto/2010).

 

Figura simbólica

 

Depois da grande figura popular de Lula, um sindicalista e ex-torneiro mecânico pernambucano que alcançara o mais alto posto político brasileiro, o país passou por um período, onde a figura simbólica e heróica de um homem do povo, de origem humilde que se torna grande e que representaria a massa, ficou desaparecida.

Mesmo que Lula tenha derramado suas graças sobre Dilma, a primeira presidente mulher do Brasil, não emplacou como figura popular, diante disso a presidente traçou exatamente o caminho inverso, mostrando uma imagem quase andrógena, deixando de lado a questão sessista, para se firmar como personalidade de liderança mundial, com firmeza e sem vaidades.

Com o fim do julgamento do mensalão, coube ao ministro Joaquim Barbosa a capa de herói, representante das minorias e agora aclamado pelo povo como possível próximo presidente da república.

Sua popularidade é perceptível nas redes sociais, onde diversas imagens e façanhas são compartilhadas entre os usuários. No Facebook, o grande número de seguidores das diversas páginas e perfis relacionados ao ministro deixam claro a estima que a população tem por ele.

Ministro Joaquim Barbosa, Presidente do STF

                                                          Joaquim Barbosa, presidente do STF

 

 

 

 

Fonte: Facomb

Categorias: Política Joaquim Barbosa STF