Weby shortcut
4884
obeso

Distúrbios alimentares atingem cada vez mais os jovens

Da obesidade à extrema magreza, o equilíbrio com o peso é um desafio

Jéssica Alencar

A ditadura do corpo perfeito, tem ultrapassado as telas da TV e fotos de revista, para se transformarem em uma questão bem mais do que de beleza, mas de saúde.A insatisfação com o corpo, a compulsão por comida ou abstenção da mesma, tem feitos dos jovens, indivíduos doentes.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), pelo menos 50 % dos brasileiros engordam ainda na infância. O médico e presidente da SBCBM, Ricardo Cohen, explica que o indivíduo desenvolve as células do tecido adiposo ainda na infância. “Depois disso, elas só incham e desincham, com uma alimentação rica em gorduras na infância, a criança está fadada a lutar contra a balança para sempre.”

A estudante de psicologia, Priscila Lima, sabe bem disso. Ela fez tratamento para emagrecer durante sete anos de sua infância e decidiu se submeter a cirurgia bariátrica, procedimento que reduz o tamanho do estômago, ainda na adolescência, aos 16 anos.

Isadora El Hage, assim como Priscila foi uma criança obesa e aos 17 anos, optou fazer a cirurgia. “Minha autoestima melhorou muito, junto com a minha saúde, e o preconceito diminuiu depois de perder 105 kg”

No ano passado, 72 mil cirurgias bariátricas foram realizadas no Brasil pela rede privada e quase 6.000 pela rede pública, os dados são da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM). O Brasil é o segundo país em que mais se realizam este tipo cirurgia, atrás apenas dos Estados Unidos.

Além da Cirurgia

Dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares de 2009 indicam que, na faixa de 10 a 19 anos, 21,7% dos brasileiros apresentam excesso de peso, enquanto que em 1970, o índice era 3,7%. Com a doença atingindo cada vez mais cedo os jovens, o Ministério da Saúde reduziu de 18 para 16 anos a idade mínima para fazer a operação pela rede pública, a medida passa a valer a partir do ano que vem.

A cirurgia bariátrica é apenas um dos meios de solucionar o problema da obesidade. Em 2011 um médico afirmou que pesando 120 kg, Thiago Castro, de 26 anos, só emagreceria realizando cirurgia bariátrica. Intrigado com a sentença resolveu se desafiar e em pouco mais de um ano perdeu 74 kg. “Perdi peso, através de muita luta, reduzindo a quantidade de alimento, fazendo caminhada e frequentando diariamente a academia.”

Do lado oposto e mais perto do que nunca da obesidade, distúrbios alimentares como anorexia e bulima, também colocam, mais do que nunca, a vida de jovens em risco. Para a psicóloga Lilian Barros, o mais importante é a saúde e não querer apenas seguir os padrões de beleza que a sociedade “impõe”, “ É importante procurar profissionais qualificados, de preferência quanto sinais de distúrbio alimentares na criança ou adolescente aparecem, para que o problema não se agrave na vida adulta.” Vale lembrar que anorexia, bulimia e obesidade estão interligadas e ajuda de familiares e amigos é essencial .

 



Fonte : Facomb

Listar Todas Voltar