Weby shortcut
Jovens Jornalistas - FIC UFG

Supletivo: Vantagem ou Desvantagem?

Aproximadamente 50% dos jovens ,acima de 15 anos, abandonam o estudo. Depois de algum tempo parado, a alternativa é iniciar um curso supletivo. Mas nem sempre o menor tempo oferece vantagem para o aluno.

Foto escolhida

 

Por: Marianna Martins
 
De acordo com a Secretaria Estadual de Educação, cerca de 50% dos jovens que estudam na rede estadual de ensino, acima de 15 anos, param de estudar porque precisam trabalhar ou por falta de incentivo. Quando adultos, querem salvar o tempo perdido e entram em curso supletivo, de primeiro e segundo graus, com as promessas de conclusões rápidas. Alguns supletivos prometem a conclusão em até 90 dias quando o normal, segundo o Conselho Estadual de Educação, seria um ano e meio para cada um.

Há três anos, o Conselho Estadual de Educação cassou o registro de escolas que prometiam conclusão de curso em 90 dias. Duas outras foram investigas e não prestaram esclarecimentos convincentes. Depois do episódio, ficou definido que o segundo grau deve ser concluído em, no mínimo, duzentas horas/aula, o que representa um ano.

Algumas escolas realizam exames que possibilitam às pessoas que não concluíram o Ensino Médio ou Fundamental a obtenção do certificado, independente de estarem ou não matriculados em escolas da rede pública e privada. Em Janeiro do ano passado, Goiânia e o interior do estado ofereceram ao todo mais de 10 mil vagas para esse tipo de candidato. Foram disponibilizadas 6.827 vagas para Goiânia e 7.938 para o interior.

Isabella Sano tem 22 anos e ficou sem estudar por cinco anos, parou ainda na oitava série, atualmente nono ano. A jovem se mudou para os Estados Unidos com a família em busca de melhores condições, mas retornou no ano passado, quando a viagem parou de oferecer bons retornos financeiros. Para não perder muito tempo a saída foi entrar em um supletivo. “ Infelizmente precisei abandonar meus estudos para juntar dinheiro e ter uma vida mais confortável aqui, mas percebi que não podia perder ainda mais tempo, o jeito foi procurar um supletivo. E ainda bem que consegui a vaga em um colégio público. Agora tenho que estudar e recuperar os anos perdidos, e não é fácil”, afirma Isabella.

O supletivo é uma alternativa para quem precisa adquirir o certificado de conclusão de forma rápida. Mas o método de ensino pode ser pouco eficaz. A professora Maria das Graças Vieira ministra aulas de geografia no Colégio Estadual Nova Era, em Aparecida de Goiânia, e explica que, apesar do empenho da equipe de professores, os alunos perdem algumas informações. “Além de ser difícil dar um conteúdo que levaria um ano, em seis meses, os alunos ainda sentem mais dificuldade, já que muitos deles não se lembram nem do básico da matéria”, conclui Maria das Graças.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Educação, apesar do Estado oferecer a opção supletivo, o conselho é que o aluno retome o ensino, do ponto onde parou, e estude todo o conteúdo. Essa é a melhor maneira de prepará-lo para um curso superior. Caso não seja possível estudar cada ano, o ideal é que o aluno se dedique e, mesmo depois de concluído o ensino médio, continue buscando informações.

Fique de olho nos exames para iniciar um curso supletivo

Como o Brasil prepara o adulto para o mercado de trabalho?

Fonte: Facomb

Categorias: Educação